Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Maioria ‘rasga’ resolução e libera presença de Cabo Gilberto na sessão da ALPB

Deputado descumpriu regra que exigia comprovante de vacina para estar em plenário.

Foto: reprodução/Youtube ALPB
Foto: reprodução/Youtube ALPB

Por maioria, os deputados autorizaram a presença do Cabo Gilberto Silva (PSL) em sessão plenária na Assembleia Legislativa da Paraíba, mesmo sem estar vacinado contra a Covid-19. O parlamentar descumpriu a resolução da Mesa Diretora que exigia ‘plena imunização’ e conseguiu participar da sessão plenária, retomada de modo híbrido nesta terça-feira (5), após apresentar um teste negativo para a doença.

A presença do Cabo Gilberto causou desconforto em alguns deputados, dentre eles Hervázio Bezerra (PSB), que apresentou uma questão de ordem para solicitar a retirada do parlamentar da Casa. “Aqui é uma Casa de leis e espero que ela se faça cumprir”, destacou Bezerra.

O tema foi alvo de muitos debates, que se estendeu por quase duas horas, sem que a pauta de votação pudesse avançar.

A maioria acabou seguindo o entendimento do presidente da Casa, Adriano Galdino (PSB), para que a sessão fosse seguida, mesmo com o descumprimento da obrigatoriedade da vacina. A preocupação do parlamentar era avançar na pauta de votação, que inclui o seu projeto de lei que institui o ‘passaporte da vacina’.

Com a derrota, Hervázio Bezerra deixou o plenário da Casa, sendo seguido pelos deputados Inácio Falcão e João Gonçalves, que também manifestaram desconforto com a presença do Cabo Gilberto no local.

Veja também  Refis do Simples Nacional deixa de fora 125 mil empresas da Paraíba

Após encerrada a polêmica, em plenário, Cabo Gilberto afirmou que deve tomar a vacina contra a Covid-19.

Conselho de ética

Antes da votação, Adriano Galdino sugeriu que o caso do deputado Cabo Gilberto Silva seja conduzido ao Conselho de Ética da Casa por descumprimento à resolução. Uma das exigências é que o acesso só será permitido para servidores e parlamentares plenamente vacinados contra a Covid-19.

Cabo Gilberto Silva disse que se sente discriminado com a determinação. “Fiz o exame, eu não estou com coronavírus. Não posso dizer a mesma coisa de quem está com passaporte sanitário. Quero justificar minha entrada, não sinto nenhum sintoma. Fiz o teste de coronavírus para que todos fiquem tranquilos. Estou me sentido discriminado. Defendo a vacina, mas não posso defender a obrigatoriedade”, destacou.

O presidente da Assembleia chegou a sugerir que iria acionar o Conselho de Ética seria acionado através da Mesa Diretora, mas logo em seguida afirmou que, conforme o Regimento Interno na Casa, o pedido deve ser apresentado por um parlamentar.

O presidente do Conselho de Ética, deputado Manoel Ludgério (PSD), afirmou que, independente desse caso, já há outro pedido contra o Cabo Gilberto em análise, que ele deve apresentar o relatório, provavelmente, na próxima semana. “É um material robusto e precisa ser estudado com cuidado”, afirmou.