Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Ruy afirma que não há possibilidade de união com João Azevêdo

 “O meu palanque jamais será o da Operação Calvário e dos desvios de recursos na saúde”, disse o deputado federal tucano.

Foto: Angélica Nunes
Foto: Angélica Nunes

O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB) rechaçou a possibilidade de se aliar ao grupo do governador João Azevêdo (Cidadania) nas eleições do ano que vem.

A união foi cogitada em reunião, ontem (26), em Brasília, por alguns participantes, quando o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, encontrou-se com parlamentares tucanos para conversar sobre o posicionamento político e possível retirada de pré-candidatura ao governo.  Romero é (era) o nome do grupo para fazer frente ao governador.

Assim como o colega Pedro Cunha Lima (PSDB), Ruy está determinado a assumir uma postura ainda mais firme na oposição aos governos da Paraíba. No caso de Ruy, oposição firme também em João Pessoa.

Ele usou a palavra coerência ao avaliar a hipótese de lideranças da oposição aderirem à gestão João Azevêdo e ao bloco governista, que é composto também pelo prefeito da Capital.

“Vou manter a minha coerência, é questão de honra. Alguém tem que fiscalizar as ações de governo e defender os interesses da população contra o poder do estado e da prefeitura. É isso que vou fazer, porque foi esta missão que recebi nas urnas da população. Vou honrar o compromisso e fazer oposição mais do que nunca”, declarou.

Veja também  Sob relatoria de Vital do Rêgo, TCU recomenda que governo exija “passaporte da vacina” a visitantes estrangeiros

Segundo ele, o palanque de Azevêdo é o palanque da Calvário. Operação que apura desvios de recursos da saúde e educação, na gestão do ex-governador Ricardo Coutinho (PT), ex-aliado e ex-padrinho político de Azevêdo.

“Este sempre foi claramente o palanque da Operação Calvário, dos desvios de recursos da saúde, que financiaram as últimas campanhas eleitorais no Estado”, dispara Ruy. “Jamais vou aderir ao maior escândalo da história da Paraíba”, diz.

O parlamentar ressaltou fazer oposição é uma das tarefas mais nobres e importantes que existem. “E nos foi delegada pelo povo, para pressionar os governos e fazê-los cumprirem suas promessas com transparência e honestidade”, explicou.

Camila 

E quem também falou em coerência foi a deputada estadual Camila Toscano (PSDB). A mensagem foi deixada em uma rede social, com uma foto da reunião que aconteceu ontem (26), em Brasília. “Seguindo firme, mantendo sempre a minha coerência, sempre com decência!”, disse.