Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Vitor Hugo afirma que prefeitura não promoverá festa de réveillon na orla de Cabedelo

Só estarão liberadas as festas particulares e com protocolos. O gestor disse, no entanto, que a prefeitura vai disponibilizar duas balsas de fogos nas praias de Intermares e Formosa.

Foto: divulgação
Réveillon em Cabedelo, antes da pandemia. Foto: Jornal da Paraíba

A prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo (DEM), não está disposto a arriscar e transformar a cidade num “polo” de contaminação da Covid-19 no fim de ano. O gestor vai anunciar, oficialmente, nesta sexta-feira (05), que não haverá a tradicional festa de réveillon na orla da cidade.

Apesar dos números da Covid-19 estarem mais controlados na cidade e na Região Metropolitana, com vacinação avançada, Vitor Hugo disse à CBN João Pessoa que não vai arriscar “aglomerar milhares de pessoas na orla”. A informação foi confirmada pelo Conversa Política.

Segundo ele, o feriadão foi um exemplo do que pode acontecer: cidade lotada e aglomeração certa.

O gestor afirmou, no entanto, que a prefeitura vai disponibilizar duas balsas de fogos nas praias de Intermares e Formosa.

Ou seja, quem quiser curtir a virada de ano na praia ou na orla poderá ir tranquilamente, mas sem que a prefeitura coloque estrutura de palco, banda e tendas na avenida litorânea, como sempre acontecia, antes da pandemia.

Veja também  Políticos lamentam morte do ex-senador Ivandro Cunha Lima; governador decreta luto

A festa de aniversário da cidade, que é em dezembro, também será cancelada. “Cabedelo não fará nem aniversário da cidade dia 12 de dezembro”, disse.

Uma coisa é certa, mesmo sem banda na orla, muita gente vai virar o ano por lá. E mais: quem tiver dinheiro vai lotar as famosas e badaladas festas particulares de réveillon em Cabedelo. Fiscalização de possíveis protocolos? Não dá para imaginar que será possível.

Únicos eventos do fim do ano 

De acordo com a assessoria de comunicação de Cabedelo,  em contato com a produção da TV Cabo Branco, há uma determinação, que vale até o dia 31, que não permite contratação de bandas e realização de shows públicos. Afirmou ainda que os eventos grandes programados para o fim de ano são o casamento comunitário e o baile de debutantes para adolescentes em situação de vulnerabilidade, chamado de Cinderela.