Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

ALPB aprova estado de calamidade devido à crise hídrica em Belém

Decisão foi tomada em sessão híbrida realizada nesta quarta-feira (17).

Foto: Divulgação
belém
Foto: Divulgação

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) aprovou, na sessão híbrida desta quarta-feira (17), a decretação de estado de calamidade em Belém, no Brejo paraibano, por 180 dias, em razão da grave crise hídrica e suas repercussões nas finanças públicas no município. O projeto, de autoria da Mesa Diretora da Casa, foi aprovado por unanimidade.

O pedido tem como parâmetro um decreto municipal de 11 de novembro, editado pela prefeita Aline Barbosa de Lima, que reconheceu o estado de calamidade hídrica e o período de sua duração de 180 dias. No ato, ela destaca a necessidade de suprir a população quanto ao abastecimento d’água diante do colapso no abastecimento de água potável.

Veja também  Bolsonaro revoga decreto que afetaria corretores de imóveis após reação da categoria

A região do Brejo e agreste paraibano vem sofrendo com a falta d’água ao longo deste ano. Além de Belém, também já conseguiram o aval da Assembleia Legislativa para a decretação do estado de calamidade por causa da crise hídrica na região do Brejo, Agreste e Borborema os municípios de Areia, Arara, Bananeiras, Casserengue, Curral de Cima e Solânea.

Devido ao risco e dificuldades no abastecimento, o governador João Azevêdo (Cidadania) decretou esta

O tema segue o artigo 65 da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000, que trata da grave crise hídrica e repercussões nas finanças públicas do município.