Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Jutay cobra mais diálogo do governo: “não sou lagartixa para balançar a cabeça para tudo”

Deputado da base aliada usou a tribuna na ALPB para cobrar ser recebido pela equipe de João Azevêdo.

Foto: divulgação/ALPB

Da base aliada do governo, o deputado Jutay Menezes (Republicanos) soltou o verbo na sessão desta quarta-feira (1º) na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Cobrou mais diálogo da equipe do governador João Azevêdo (Cidadania). As críticas foram “personalizadas” no secretário Chefe de Gabinete do governo, Ronaldo Guerra, que, segundo ele, não tem dado espaço em sua agenda para ouvir os seus pleitos para os municípios. O parlamentar só não explicou que pautas seriam essas.

“Não estamos tendo o reconhecimento por parte do secretário, que tem a condição de receber os deputados e ver as demandas que eles têm para os municípios. Eu acho isso uma falta de respeito e consideração, quando um secretário de estado ou sequer recebe uma ligação. Fica aqui a minha indignação em público”, declarou.

Mesmo percebendo o incomodo no semblante dos colegas da base de sustentação do governador João Azevêdo na Casa, Jutay seguiu: “já dizia o ditado, minha mãe dizia que roupa suja se lava em casa, mas eu quero expor essa roupa suja para que fique também sabido que não sou um deputado lagartixa que balança a cabeça para tudo. Tenho minhas opiniões, opiniões firmes, e não deixo me intimidar por absolutamente nada”, completou.

Veja também  Marcelo Ivo de Carvalho é nomeado novo superintendente Regional da PF na Paraíba

Defesa Tião 

Conduzindo a sessão, o deputado Tião Gomes (Avante) rebateu a declaração do colega e defendeu que o secretário Ronaldo Guerra ‘tem sido uma grande fonte de união’ entre parlamentares e o governo.

Eu não estou condenando suas palavras, estou dizendo que em termos de Tião Gomes e da maioria doas deputados nós temos um bom diálogo com Ronaldo”, completou.

Guerra 

Ao Conversa Política, Ronaldo Guerra disse que tem trabalhado da melhor forma para fortalecer o diálogo entre o governo e os parlamentares.  Algumas demandas, segundo ele, não são resolvidas com a agilidade que se deseja, mas a Secretaria tem sido ponte e facilita essa relação da gestão com o Legislativo e os municípios. E complementou que descontentamentos são naturais e tudo pode ser resolvido com diálogo civilizado.