Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Cartaxo volta para o PT e deve ser candidato a governador em 2022

Com esse movimento, o ex-gestor de João Pessoa, que saiu bem avaliado, mas não conseguiu fazer sua sucessora, recoloca-se no “jogo”, abre um caminho para formar um grupo competitivo.

Foto: Olenildo Nascimento/Câmara JP
Foto: Olenildo Nascimento/Câmara JP

A política é assim: dinâmica, circunstancial, surpreendente. Basta um movimento estratégico, no momento certo, que as peças se encaixam e um novo cenário se desenha. A filiação do ex-prefeito da capital, Luciano Cartaxo, ao PT, anunciada na tarde desta quinta-feira (16), é a prova disso.

Com esse movimento, o ex-gestor de João Pessoa, que saiu bem avaliado, mas não conseguiu fazer sua sucessora, recoloca-se no “jogo”, abre um caminho mais firme para formar um grupo competitivo. Ele precisava de um grupo. No PV, tinha apenas os familiares e alguns aliados próximos.

Agora, desenha uma possível candidatura ao governo do estado. Desejo externado desde sempre. Puxando uma esquerda que, órfã de Ricardo Coutinho (PT), ferido pela Calvário e pela inelegibilidade, precisava de uma liderança experimentada, com capital eleitoral. Alguns petistas, assim como engoliram Ricardo e o antigos girassóis, agora, precisarão reconhecer que podem ser protagonistas ano que vem com o antigo-novo filiado.

Ainda mais porque a oposição, pro lado mais à direita, ainda não tem esse nome que pode mexer com o cenário. Ainda.

No rastro de Lula

De quebra, estará colado no cabo eleitoral mais desejado do momento, o ex-presidente Lula, disparado nas pesquisas de intenção de voto. PT da Paraíba e Cartaxo precisam um do outro nesse momento. E, se a saída dele, em 2014,foi para não unir o nome ao partido, à época manchado pelas denúncias de corrupção, agora, é a ligação que ele precisa para deixar de ser coadjuvante. Com um Lula sem condenações por corrupção.

A filiação foi confirmada após reunião do Diretório Nacional da sigla. Cartaxo, que tem boa parte da sua trajetória política filiado ao partido, destacou, em texto enviado pela assessoria, a importância deste novo momento. Reforçou a necessidade de uma gestão pública que invista no social, melhorando a vida da população. A explicação que marcar o novo momento:

É com muita alegria que retorno à ‘casa’ onde iniciei minha trajetória política. Essa eleição será um divisor de águas e só Lula pode vencer a fome, a miséria e melhorar a vida do povo. Acredito que estamos em um momento histórico, onde o que está em jogo é o futuro da nossa população, que atualmente está carente de investimentos que tragam mais qualidade de vida”, destacou.

No discurso, consolida a parceria que deseja para o ano que vem. “Ao lado do presidente Lula vamos batalhar para garantir esses direitos à população, por isso me sinto muito feliz e motivado com o retorno ao partido (…) essa eleição será um divisor de águas e só Lula pode vencer a fome, a miséria e melhorar a vida do povo”.

Veja também  PT faz reunião para definir vice de Veneziano na disputa ao governo

Ao Conversa Política, o presidente estadual do PT, Jackson Macêdo, registrou que a aprovação no Diretório Nacional foi 48 a favor pela filiação e 14 contra. Ele admitiu que está muito feliz com a filiação de Cartaxo e, com o ex-prefeito de João Pessoa, será possível construir uma chapa forte para o próximo ano.

“É uma figura importante da política local. Luciano nas nossas pesquisas está muito bem situado, inclusive ficando em segundo lugar nas pesquisas. E eu acho que tê-lo com a gente para o debate que a gente vai enfrentar no próximo ano é muito importante. Então, eu estou muito feliz, muito satisfeito com a filiação dele. A gente pode contar com Luciano para uma chapa majoritária, por exemplo, ou para um outro projeto. Ele vem para somar e isso é fundamental. Então, construir um movimento de tê-lo de volta é muito importante.”, explicou.

Nas redes sociais, ele destacou a filiação.

A saída

Cartaxo deixou o partido em 17 de setembro de 2015, depois de mais de 20 anos de filiação ao partido e ingressa no Partido Social Democrático (PSD), sendo reeleito prefeito de João Pessoa no primeiro turno na eleição municipal de 2016. Depois foi para o PV.