Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Opinião: quem vai se responsabilizar pelo esgoto lançado nas águas do São Francisco em Monteiro?

O MPF vai acionar vários órgãos. Quer evitar judicialização e espera que antes, juntos ou separados, eles dêem uma solução.

Em mais uma inspecção, agora com equipe pericial, o Ministério Público Federal constatou um crime no Cariri: esgoto residencial jorrando no canal “abandonado”, que permite que a água do Rio São Francisco chegue à Paraíba.

Os vídeos foram gravados em Monteiro, no Cariri, cidade que recebe às águas por meio do leito do Rio Paraíba (veja vídeos abaixo).

A procuradora do MPF, Janaína Andrade vai acionar vários órgãos. Mas quer evitar judicialização porque espera que antes, juntos ou separados, eles encontrem uma solução.

A saber: Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Prefeitura Municipal de Monteiro, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e a Secretaria Estadual de Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente.

O impressionante é que ninguém viu? Isso não foi resolvido ainda? Precisou o MPF entrar no circuito.

E lembrar que era a obra da redenção, que garantiria segurança hídrica a uma região. Passados cinco anos, a obra é a cara do Brasil, entregue ao tempo.

Veja também  João Pessoa será enredo de escola de samba do Carnaval de São Paulo 2023

Nessa inspeção, algo também grave. O esgoto de uma das ruas vem de casas financiadas pela Caixa Econômica Federal. Segundo o MPF, elas foram entregues, recentemente, com fossas fora de padrão normativo, o que faz com que elas estourem e que esgoto seja lançado no canal pluvial e rio Paraíba (na desembocadura da transposição), que ficam próximos à rua.

Se você acha que não pode piorar, basta saber que em Monteiro, em alguns bairros, a população não tem água na torneira.

Incrível a gente ainda ter que defender uma solução para um problema básico, que deveria ter sido resolvido há pelo uma pares de anos.

Se esse descaso já está acontecendo em Monteiro, porta de entrada, em uma área de muita visibilidade, imagine o que vai acontecer quando a água descer no leito do Rio Paraíba?