Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

João Pessoa será enredo de escola de samba do Carnaval de São Paulo 2023

João Pessoa vai ser um dos grandes destaques no Carnaval de São Paulo em 2023. A capital será tema do enredo da escola de samba Dragões da Real, que desfila no grupo especial da folia paulistana. O anúncio foi feito pela agremiação na noite deste sábado (25), quando divulgou o enredo ‘Paraíso paraibano: João Pessoa, a porta do sol das Américas’.

O prefeito Cícero Lucena (Progressistas) participou do anúncio ao lado do presidente da Dragões, Renato Rodrigues. “Ficamos muito felizes em ver João Pessoa representada em um dos principais palcos do Carnaval brasileiro, pois isso projeta a cidade e traz grande dimensão para o nosso turismo e economia, assim como valoriza nossa cultura. Isso coloca a cidade em uma outra dimensão de divulgação cultural”, afirmou.

A festa foi o momento de apresentação do enredo para a própria comunidade e componentes da escola, que receberam o tema com empolgação. O anúncio foi coroado com apresentação de quadrilhas juninas, transformando o barracão em um verdadeiro arraiá nordestino.

De acordo com o diretor da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Marcus Alves, o enredo vai trazer as identidades culturais pessoenses, desde a sua formação. “Isso inclui Nossa Senhora das Neves, as contribuições indígenas e chega também nas identidades contemporâneas como as quadrilhas, o Folia de Rua, o Carnaval Tradição, nossos pontos turísticos e belezas naturais”, explicou.

Veja também  A luta do “bem contra o mal” pregada por Michelle Bolsonaro é uma falácia

O fato de João Pessoa receber o primeiro nascer do sol das Américas vai ganhar destaque no desfile. Essa ideia foi reforçada pela escola ao descobrir, por meio de sorteio, que será a última a desfilar no sábado de Carnaval, o que significa que passará pelo Anhembi já no amanhecer do dia. O enredo é assinado pelo carnavalesco Jorge Freitas.

A Dragões da Real busca o título inédito do Carnaval paulistano. A escola já conquistou duas vezes o segundo lugar. Em 2017 empatou com a Acadêmicos do Tatuapé, ficando com o vice pelo critério de desempate. Na ocasião, a escola contou a história da música Asa Branca, de Luís Gonzaga. A agremiação repetiu o feito em 2019 com o enredo ‘A invenção do tempo: uma odisseia em 65 minutos’.