Hospital Padre Zé admite problemas financeiros e solicita força-tarefa para varredura nas contas

A nova diretoria do Hospital Padre Zé, em João Pessoa, solicitou ao Ministério Público da Paraíba uma auditoria “ampla e irrestrita” em todas as suas contas, contratos, convênios e projetos instituição.

A nova diretoria do Hospital Padre Zé, em João Pessoa, solicitou ao Ministério Público da Paraíba uma auditoria “ampla e irrestrita” em todas as suas contas, contratos, convênios e projetos instituição. Em nota, divulgada nesta terça-feira (03), a entidade informa que está sendo formada uma força-tarefa, envolvendo o Gaego, a Polícia Civil, a Secretaria de Estado da Fazenda e a Controladoria-Geral do Estado da Paraíba para apurar o fato e buscar soluções para o problema.

Na nota, o Hospital Padre Zé revela que está passando por “grave problemas financeiros”, mas que os serviços não serão suspensos.

A nova diretoria do Hospital Padre Zé, após avaliar a situação operacional, funcional, contábil e financeira, constatou que a unidade encontra-se com inúmeras dívidas que comprometem a sua funcionalidade. Apesar das dificuldades, informa que o serviço não será suspenso e comunica que uma força-tarefa composta por órgãos públicos vem sendo formada para apurar os fatos e buscar soluções para o problema”, detalha.

O hospital era gerido pelo Padre Egídio de Carvalho, que renunciou ao posto no mês passado após a revelação de um escândalo envolvendo o ex-funcionário do Hospital Padre Zé, um dos suspeitos de furtar mais de R$ 500 mil em celulares da unidade., que seria doados à instituição. O dinheiro deveria ser usado para manutenção do hospital. Em seu lugar, assumiu o Padre George Batista.

Problemas financeiros

Apesar dos problemas encontrados, segundo a direção, a operação do Hospital não será interrompida e a memória da iniciativa caritativa de Padre Zé será resgatada. Informou ainda que será preciso um choque de gestão e um esforço conjunto com o Poder Público, para que o Hospital continue operando e atendendo os mais necessitados.

“O nosso compromisso é com a transparência e para que os mais necessitados não sejam prejudicados no atendimento e na presteza do serviço. Mesmo com as dificuldades encontradas, a operação do Hospital não será interrompida e a memória da iniciativa caritativa de Padre Zé será resgatada”, enfatizou o novo diretor, Padre George Batista.

A diretoria ainda faz um apelo a sociedade para que continuem ajudando ao Hospital Padre Zé nesse novo momento. “O Hospital pertence aos pobres e aos pobres deve servir! Então precisaremos de todos que querem manter essa obra com mais de 80 anos de história e trabalho para a sociedade paraibana”, finalizou.