Laudo revela que incêndio no Trauminha em João Pessoa começou em disjuntores

Os Bombeiros concluíram que o incêndio foi acidental

Laudo revela que incêndio no Trauminha em João Pessoa começou em disjuntores. Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Um laudo obtido pelo Conversa Política, por meios dos produtores da TV Cabo Branco, revelou que o incêndio que ocorreu no Complexo Hospitalar de Mangabeira, o Trauminha, em João Pessoa, no final da tarde do dia 04 de janeiro, começou no Núcleo de Recuperação de Equipamentos Mobiliários e a sala vizinha, “tendo como foco inicial determinado a região onde estava situado um dos disjuntores”.

Os Bombeiros concluíram que o incêndio no Trauminha foi acidental.

A fumaça afetou pacientes do hospital, que precisaram ser realocados para outros setores da unidade hospitalar.

Laudo revela que incêndio no Trauminha em João Pessoa começou em disjuntores
Laudo revela que incêndio no Trauminha em João Pessoa começou em disjuntores. Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

À época, o Bombeiros  destacaram que na sala onde funciona um depósito do Trauminha continha cilindros de oxigênio, o que gerou maior preocupação para o Corpo de Bombeiros que realizou o combate às chamas. Eles precisaram resfriar os cilindros.

No dia do incidente, a Secretaria de Saúde de João Pessoa informou, em nota, que as chamas começaram em uma área não ocupada da unidade de saúde e não há informação de feridos.

A Saúde de João Pessoa ainda informou que o fogo foi controlado, mas, por precaução, alguns pacientes foram deslocados para outros setores do complexo. As causas do incêndio não foram divulgadas e serão investigadas.

Laudo revela que incêndio no Trauminha em João Pessoa começou em disjuntores
Laudo revela que incêndio no Trauminha em João Pessoa começou em disjuntores. Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Secretário passou mal durante incêndio no Trauminha

O secretário de saúde de João Pessoa, Luis Ferreira, passou mal após tentar abrir uma das salas do Complexo Hospitalar de Mangabeira, o Trauminha, no bairro de Mangabeira, que estavam fechadas durante o incêndio que aconteceu num prédio anexo da unidade hospitalar nesta quinta (4).

De acordo com a assessoria da prefeitura de João Pessoa, Luis Ferreira precisou de atendimento médico após passar mal devido a um esforço e precisou fazer uso de oxigênio.