João Paulo Medeiros

Auditoria da CGU indica que Estado não errou na distribuição de vacinas na Paraíba

CGU aponta Saúde estadual cumpriu Plano de Imunização e não houve prejuízos, nem beneficiamento de cidades

Foto: PMCG

A distribuição de vacinas contra a covid-19, na Paraíba, já foi por várias oportunidades motivo de polêmica e questionamentos quanto ao número de doses distribuídas para os municípios paraibanos. O tema fez o Ministério Público solicitar uma auditoria à Controladoria Geral da União (CGU) para identificar se teria havido divergências entre as doses enviadas ao Estado e a distribuição dos imunizantes para as cidades.
As suspeitas eram de que o município de Campina Grande tivesse recebido 3.489 doses a menos. Mas a conclusão, após a inspeção, é que não houve erro na distribuição. A Secretaria Estadual de Saúde cumpriu o Plano Nacional de Imunização, do Ministério da Saúde.
Os números e dados analisados pela auditoria levaram em consideração as doses enviadas até 14 de abril deste ano.

“Em que pese terem sido encontradas variações nos percentuais de cobertura vacinal, com base nos dados apresentados pela GEVS/SES/PB, não foram
encontradas evidências de que esses municípios tenham sido beneficiados ou prejudicados indevidamente, assim como não foi evidenciada a quebra da proporcionalidade das doses distribuídas no Estado nos casos de envio a maior de doses para outros municípios por arredondamentos”, conclui os auditores.

O trabalho da CGU é um desfecho sobre as ‘disputas discursivas’ registradas no Estado ao longo da vacinação.
 

Veja também  Após denúncias de desvios em plantões extras de presídios, MP aciona Estado por ponto eletrônico