João Paulo Medeiros

Com exceção de Veneziano, Julian e Gervásio, bancada da PB reage de forma tímida aos atos antidemocráticos

Alguns deputados federais fizeram ‘vista grossa’

Foto: reprodução

Eleitos pelo povo, em um processo democrático, parte da bancada federal paraibana fez ‘vista grossa’ aos ataques feitos à democracia e às instituições pelo presidente Jair Bolsonaro, nos atos do 7 de setembro. As exceções mais contundentes ficaram por conta do senador Veneziano Vital (MDB) e dos deputados Gervásio Maia (PSB) e Julian Lemos (PSL).

Nas redes sociais Veneziano compartilhou uma nota oficial do MDB e disparou: “um desgoverno, incompetente por excelência, precisa estar gerando instabilidades sempre”.

Foto: reprodução

O deputado Julian, ex-aliado de primeira ordem do presidente, criticou o extremismo dos atos e ressaltou a necessidade de diálogo e união para o desenvolvimento do país.

Foto: reprodução

Já Gervásio Maia manteve o tom enfático contra o Governo e defendeu o afastamento do presidente.

Veja também  Governo extingue 4,3 mil codificados da Saúde e formaliza contratos com servidores; veja lista

Foto: reprodução

As redes sociais registraram ainda manifestações tímidas das senadoras Daniella Ribeiro (Progressistas) e Nilda Gondim (MDB), além dos deputados Frei Anastácio (PT), Ruy Carneiro (PSDB), Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) Damião Feliciano (PDT) e Edna Henrique (PSDB).

Todos observaram, de forma acanhada, a necessidade de respeito à democracia.

Por outro lado, os deputados Wellington Roberto (PL), Efraim Filho (DEM), Pedro Cunha Lima (PSDB), Hugo Motta (MDB) e Wilson Santiago silenciaram (pelo menos nas redes sociais) sobre o tema.

Uma lástima, aliás…

Eleitos pelo voto popular, livre e soberano, eles têm a obrigação de defender a democracia brasileira.

E os ataques ao STF, à Constituição Federal e pedidos de intervenção militar, feitos em um evento impulsionado pelo presidente, são um sinal claro de que o sistema democrático e o próprio Legislativo estão em perigo.

Mas, por enquanto, parte da bancada paraibana permanece apática.