João Paulo Medeiros

Azevêdo anuncia programa que reduz em até 80% multas do ICMS para empresas inscritas na Paraíba

Débitos acumulados até 31 de julho podem ser incluídos

órfãos da pandemia
Foto: Ascom

Diante de um quadro de instabilidade econômica e de ainda muitas dificuldades, acentuadas pela pandemia, o governador João Azevêdo (Cidadania) lançou hoje o Programa de Regularidade Fiscal de ICMS 2021. As empresas inscritas na Paraíba que aderirem ao programa terão redução de até 80% das multas punitivas e moratórias, além de 70% das multas acessórias e dos juros de mora.

Podem ser incluídos débitos das empresas acumulados até o dia 31 de julho deste.

“O programa só é possível graças ao equilíbrio fiscal do Estado, que mantém a casa organizada, com as contas em dia”, assinalou Azevêdo.

Forma de adesão

As empresas paraibanas terão um prazo maior para aderirem ao Programa de Regularidade Fiscal 2021. O governador João Azevêdo informou que o prazo para aderir ao novo programa, nas repartições fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-PB), será apenas no período de 1º a 30 de dezembro deste ano, enquanto o pagamento da cota única à vista ou da 1ª parcela poderá ser efetivado até o dia 12 de janeiro.

Veja também  Em país polarizado, lulistas expõem cartazes para bolsonaristas na Paraíba

A condição para a empresa aderir ao programa é estar em dia com todos os pagamentos dos períodos de apuração não abrangidos no programa. Ou seja, a empresa precisa estar em dia com as suas obrigações fiscais – após o mês de agosto, até a data da adesão no mês de dezembro.

Programa tem três opções de pagamento

O programa terá três opções de pagamento. A primeira é o pagamento à vista da cota única, que terá redução de 80% das multas punitivas e moratórias, além de 70% das multas acessórias e dos juros de mora.

A segunda opção é o parcelamento em 30 meses, que concede redução de 60% das multas punitivas e moratórias, e 50% dos juros de mora.

Já o parcelamento em 60 meses concederá redução de 40% das multas punitivas e moratórias, e 30% dos juros de mora.