Pleno Poder

João Paulo Medeiros

TRE-PB julga improcedente Aije contra Luciano, Romero, Lucélio e Micheline

Ação apurava abuso de poder econômico e conduta vedada nas eleições de 2018

Foto: Ascom

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB) julgou improcedente, por unanimidade, uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) que apurava a prática de abuso de poder econômico e conduta vedada, nas eleições estaduais de 2018. A Aije havia sido proposta pela coligação ‘A Força do Trabalho’.

O julgamento terminou há pouco.

A ação tinha como alvos a chapa formada pelo ex-candidato ao Governo do Estado em 2018, Lucélio Cartaxo (PV); a ex-candidata a vice, Micheline Rodrigues (PSD); os ex-prefeitos de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV) e Romero Rodrigues (PSD), além de ex-secretários municipais das gestões de Campina e João Pessoa.

A ação apurava supostos abusos que teriam sido cometidos por parte das prefeituras de Campina Grande e João Pessoa, com a contratação de servidores por excepcional interesse público e agências de publicidade.

O relator do processo, desembargador Leandro dos Santos, observou que “os fatos narrados na peça inaugural não se confirmaram após a instrução”. Ele foi seguido pelos demais membros da Corte.

A Aije pedia a condenação dos investigados e a suspensão dos direitos políticos.

Veja também  Bruno troca comando da Secretaria de Saúde de Campina Grande

“Ficou comprovado que os fatos narrados na ação não ocorreram. Todos os contratos firmados pelas prefeituras obedeceram à legalidade”, avaliou o advogado José Fernandes Mariz, que representou a defesa de Romero e Micheline no processo.