João Paulo Medeiros

Governo ‘sobe tom’ e não vai admitir greve branca na PM. Veja vídeo

Governo aponta politização da discussão por parte de oposicionistas

O governador João Azevêdo (Cidadania) decidiu subir o ‘tom’ na crise entre o Governo e o movimento promovido por lideranças políticas de oposição com trânsito junto à Polícia Militar. Em um vídeo, gravado no fim da manhã de hoje, ele disse que não vai admitir “operação padrão” ou “greve branca” na corporação.

“Existe um movimento político no interior da tropa que insiste em não reconhecer todo esse esforço e trabalha com a desinformação para fomentar um clima de acirramento e divisão interna no seio da polícia militar. Quero dizer a estes setores minoritários que não vamos tolerar a indisciplina e quebra de hierarquia na tropa. Para proteger a população e manter a ordem irei às últimas consequências”, assinalou, não descartando a possibilidade de acionar a Justiça.

Azevêdo adiantou que já acionou os comandos das unidades para tentar conter possíveis greves.

Veja também  TRE cassa vereadores do MDB de Zabelê por fraude na cota de gênero

Na crise, o Governo chegou a fechar um acordo com algumas das entidades que representam a PM para um reajuste de 10% nos salários, além da incorporação de 100% da Bolsa Desempenho para os inativos em 48 meses. O auxílio alimentação também foi reajustado em 24%, assim como os plantões extras.

O reajuste de 10% foi estendido aos demais servidores estaduais.

O ‘gargalo’ continua sendo, contudo, a Polícia Militar. Parte da corporação segue insatisfeita com as medidas – muito em função da atuação de lideranças políticas dentro do grupo.

Ao elevar o ‘tom’, o Governo expõe o limite de sua convivência com a crise e dá um recado à tropa. Greves brancas não serão toleradas.