João Paulo Medeiros

Aguinaldo cobrava unidade, mas prefeitos do Progressistas ‘abandonam’ candidatura governista ao Senado

Prefeitos anunciaram apoio a Ricardo Coutinho e Bruno Roberto

Foto: Ascom

Durante a pré-campanha deste ano um principais capítulos foi o impasse entre os partidos Progressistas e Republicanos, dentro da base do Governo. A novela teve início quando o deputado Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) tentou se lançar como candidato ao Senado, mas não encontrou apoio do Republicanos, que antecipou-se com o projeto de Efraim Filho (União).

Naquele momento e posteriormente, quando desistiu da candidatura, Aguinaldo Ribeiro cobrou publicamente ‘unidade’ dentro do grupo.

Dizia, naquela época, que não faria sentido uma candidatura ao Senado sem o apoio de toda a base. Com a desistência de Ribeiro e a indicação do sobrinho dele como candidato a vice (Lucas Ribeiro), o dilema foi transferido de lado.

Agora a ausência de unidade tem como protagonistas prefeitos do Progressistas.

Hoje um deles, Emerson Panta, de Santa Rita, juntamente com a deputada Jane Panta, anunciaram apoio à candidatura de Bruno Roberto ao Senado; desconsiderando o nome da deputada Pollyanna Dutra (PSB), anunciado essa semana como candidata oficial da base.

Veja também  TJ ‘derruba’ lei de Campina Grande que sugeria leitura da bíblia nas escolas

Semanas atrás o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir, juntamente com a deputada Doutora Paula, percorreram o mesmo caminho.

Mas eles não foram os únicos.

O prefeito Nobinho, de Esperança, deverá votar no ex-governador Ricardo Coutinho (PT) para o Senado. Já o prefeito de Alagoa Grande (Antônio Sobrinho) também deve ir com o petista.

Há quem pergunte, nesse momento, se as cobranças por unidade feitas por Aguinaldo, tempos atrás, não serviriam também para o partido dele. É um bom questionamento.