Secretário de Princesa Isabel suspeito de estupro tem prisão mantida após audiência de custódia

Gilvado Rodrigues de Morais foi encaminhado para o Presídio do Roger, em João Pessoa.

Presídio Desembargador Flóscolo da Nóbrega, no bairro do Roger, em João Pessoa — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

O secretário de infraestrutura da cidade de Princesa Isabel, Givaldo Rodrigues de Morais, preso suspeito de estupro foi encaminhado para o Presídio do Roger, em João Pessoa. Ele teve a prisão convertida em preventiva durante audiência de custódia na manhã desta terça-feira (20). 

Gilvaldo Rodrigues foi preso em flagrante na madrugada desta terça-feira em João Pessoa. De acordo com a Polícia Civil da Paraíba, o crime teria acontecido por volta de 1h30. A vítima tem 21 anos e também é de Princesa Isabel. Ela acompanhava o pai para se submeter a uma cirurgia e o secretário se ofereceu a levá-los para João Pessoa. Os três estavam hospedados num mesmo hotel no bairro de Tambaú, na orla da capital paraibana.

Secretário de Princesa Isabel suspeito de estupro tem prisão mantida após audiência de custódia
Secretário Gilvado Rodrigues foi preso em flagrante

Viviane Cavalcante, a delegada responsável pelo caso, pegou o depoimento da vítima. Ela disse que o homem entrou em seu quarto e a dopou. Quando acordou, mandou mensagens para uma amiga, que por sua vez chamou a polícia. O suspeito foi preso e a vítima encaminhada para o Instituto de Polícia Científica para passar por exames de corpo de delito, toxicológico e sexológico.

A delegada disse ainda que, segundo o depoimento da vítima, não houve conjunção carnal, mas “outros atos”. O suspeito nega o crime. De toda forma, o procedimento foi colocado em sigilo para não comprometer as investigações.

A defesa de Givaldo Rodrigues disse que vai recorrer para tentar reverter a manutenção da prisão.

O prefeito de Princesa Isabel, Ricardo Pereira, anunciou pouco depois da divulgação da prisão que estava exonerando o secretário de forma imediata, para que ele possa ter direito à ampla defesa. Ele destacou também que a sua gestão tem um “compromisso ético” com as mulheres e que atos individuais de servidores da Prefeitura são “pessoais e intransferíveis”.

Outra prisão

Givaldo Rodrigues de Morais já tinha sido preso em 2015, na Operação Sem Limites, que investigava o uso indiscriminado de armas na região de Princesa Isabel. Na época ele era vereador e foi preso por posse ilegal de armas junto a outras cinco pessoas.

Na casa dele foram encontrados cinco revólveres, uma espingarda e uma grande quantidade de munição.