Medicamento injetável contra HIV é aprovado pela Anvisa

Cabotegravir é usado para o tratamento preventivo da Aids, evitando que infecções pelo vírus aconteçam.

Novo medicamento contra HIV é aprovado pela Anvisa

Um novo medicamento injetável contra o HIV, vírus causador da Aids,  foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O Cabotegravir é para tratamento preventivo contra a Aids, sendo usado para evitar que infecções pelo vírus aconteçam.

O novo medicamento faz parte de uma terapia conhecida como profilaxia pré-exposição, ou Prep, por ser injetável, se torna um tratamento mais prático e eficaz do que remédios orais, disponíveis para a prevenção de infecções pelo vírus causador da Aids.

O registro desse medicamento foi publicado no Diário Oficial da União, na segunda-feira (5), a partir de uma autorização para o uso do medicamento do país, dada pela farmacêutica britânica GSK.

Tratamento no Brasil

No Brasil, a prevenção da infecção pelo HIV é feita com a combinação de comprimidos disponíveis de forma gratuita pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que precisam ser tomados diariamente. Com o Cabotegravir, que é uma injeção muscular, que tem ação prolongada, o efeito da medicação dura mais tempo no corpo.

Aprovação em outros países

Aprovado em 2021 na FDA, agência reguladora dos Estados Unidos, o Cabotegravir também foi aprovado em 2022 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomendou o uso do medicamento para a prevenção contra o vírus HIV.

No ano passado, a Fundação Oswaldo Cruz e a Unitaid, agência global de saúde ligada à OMS, anunciaram um estudo de implantação do remédio no Brasil, avaliando a viabilidade do mesmo no Sistema Único de Saúde (SUS).

*Com informações da Agência Brasil.