Saúde da PB recomenda nova dose da vacina bivalente contra Covid para idosos e imunocomprometidos

Mesmo com cenário estável na PB, Saúde recomenda segunda dose de reforço da vacina bivalente contra a Covid-19 para idosos e imunocomprometidos.

Foto: Divulgação/Secom JP

A segunda dose de reforço da vacina bivalente contra a Covid-19 passou a ser recomendada pela Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba (SES-PB) para os seguintes grupos de risco: pessoas com 60 anos ou mais e pessoas imunocomprometidas acima de 12 anos de idade que tenham recebido a última dose da vacina há mais de seis meses.

Na Paraíba, o cenário epidemiológico atual é estável, não apresentando aumento de casos da doença, consequentemente, não há registro crescente de casos graves, que necessitem de internação ou de óbitos. 

A taxa geral de positividade da Covid-19 no estado, da primeira semana de janeiro até o início de dezembro, é de 4,92%. O número de exames realizados por mês também apresenta queda desde maio, com uma leve variação na positividade no mês de novembro, o que não representa aumento significativo, uma vez que, das 659 amostras recebidas, apenas 61 tiveram resultado detectável.

As vacinas contra a Covid-19 estão disponíveis nos 223 municípios da Paraíba. E quanto aos testes, a testagem da Covid-19 pode ser realizada a partir do segundo dia de sintomas.

A SES ainda ressaltou que o grupo de maior risco e que exige cuidados redobrados corresponde a idosos e imunocomprometidos, que são as pessoas que vivem com HIV, que foram transplantadas, que estão em uso de imunossupressores, com doença renal crônica em hemodiálise, pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos seis meses e pessoas com neoplasias hematológicas. 

A SES reforçou, também, a importância de serem mantidas medidas não farmacológicas para a redução dos riscos da infecção ou disseminação da Covid-19 e outros vírus respiratórios, como usar máscaras de qualidade; ter boa ventilação nos ambientes; evitar aglomerações e ambientes fechados ou mal ventilados; e a higienização das mãos com álcool 70% ou água e sabão. Em casos de insistência dos sintomas gripais, mesmo após um eventual resultado negativo na testagem, é necessário considerar uma retestagem no quarto ou quinto dia de sintomas.