Fabi Cavalcanti
Miguel Cavalcanti

Pets e vídeos que viralizam

Vídeos de brincadeiras e bagunças dos animais distraem internautas apaixonados pelo universo pet.

Todos os dias vemos nas redes sociais muitos vídeos fofos de cães e gatos.

Vídeos de brincadeiras e bagunças distraem internautas apaixonados pelo universo pet.

Entretanto, no meio desses vídeos, também surgem uns que aparentam ser engraçadinhos, por exemplo, quando um filhote demonstra algum comportamento agressivo ou inusitado.

Em busca de likes e fama, tutores expõem cães e gatos a situações estressantes e compartilham na web como divertimento.

Cães estressados, rosnando, mostrando todos os dentes enquanto o tutor o provoca, fingindo que vai roubar sua comida; humanos carregando animais na boca, como uma simulação do comportamento materno e inúmeras situações desnecessárias, postadas com o intuito de viralizar na internet.

Se um cãozinho, mesmo pequeno, avança no tutor para impedir que pegue um brinquedo, não ria. Esse cão, provavelmente, precisará de um trabalho de educação canina pois, esse comportamento, poderá se tornar um problema.

Se um gato se irrita, dá “tapas” e arranha quem tenta pegar na sua barriga, ele precisa de espaço. Nem todo gato gosta desse tipo de contato.

Veja também  5 curiosidades sobre as cacatuas que você talvez não saiba

Um animal que precisa agir com agressividade, pode estar sendo desrespeitado.

Animais demonstram desconforto e/ou medo de muitas formas – enrijecimento do corpo, cauda entre as patas, orelhas baixas, olhar desviado são alguns dos sinais iniciais.

Se nenhum desses sinais funcionar ou ele não tiver como fugir ou se quiser muito um recurso como comida ou brinquedo, ele partirá para outra etapa da comunicação – rosnados, grunhidos, aumento de vocalização, uso do corpo são alguns exemplos do que poderá ser expressado.

Se mesmo com todos os sinais, o humano ainda insistir naquela ação, o bichinho usará a única opção que restou: o ataque.

Antes de achar graça desse tipo de conteúdo, procure analisar o animal.

Ele demonstrou algum sinal de que não está feliz naquela situação? Ele está sendo forçado a alguma coisa?

Se ele pudesse escolher, ele ficaria ali ou sairia correndo?

Vamos respeitar a natureza e os limites desses animais.