Setembro Amarelo: cuidados com os médicos veterinários

Valorização a vida foi tema de ação especial em homenagem ao Dia do Médico Veterinário.

Clínica Veterinária de João Pessoa envolveu a equipe em manhã de cuidados com a saúde mental

No Brasil, setembro é o mês dedicado a Prevenção ao Suicídio, e isso inclui os cuidados com a saúde mental, tema que ainda é tabu para muitas gerações e inclusive profissões, e quando falamos em salvar vidas os médicos veterinários vivenciam na sua rotina, uma grande pressão, eles sentem na pela a responsabilidade de cuidar de seres que não sabem dizer onde dói e tem como missão ajudá-los.

Nesse contexto, eles enfrentam grandes desafios, como a cobrança dos tutores, exaustão emocional, longas jornadas de trabalho, e o esforço eminente de salvar a vida de seus pacientes. A saúde mental é um tabu nesse meio, e os números chegam a assustar, sendo uma das profissões com o maior índice de suicídios em todo o mundo.

Um estudo recente do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) publicado na revista científica Journal of the American Veterinary Medical Association (JAVMA), que contou com uma amostra de 11.620 profissionais, traz dados alarmantes onde apresenta uma taxa de suicídio 3,5 vezes mais alta entre médicos veterinários do que entre o resto da população em geral. Ainda diante esse cenário, as más notícias sobre a perda de um colega de profissão que tirou a própria vida estão cada vez mais presentes e próxima a realidade desses profissionais.

O equilíbrio entre a vida pessoal e profissional e a valorização a vida de forma geral não é prática comum nos ambientes de trabalho, pensando nisso, a Gestora da clínica Jampa Vet, Vanessa Trevisan, decidiu promover um momento dinâmico e de atenção à Saúde Mental com a sua equipe, “além de Médicos Veterinários, comprometidos com a vida dos seus pacientes, eles são Filhos, Cônjuges, Pais, e nós sabemos que eles sentem na pele, a pressão, o desgaste, mas eles também devem sentir o amor, a gratidão e admiração das pessoas que os cercam”, pontuou.

E foi com esse intuito que foi promovida uma manhã de dinâmicas e ações direcionadas com foco nos laços de acolhimento, trabalho em equipe, superação, também foi criada uma árvore da empatia, feita com as próprias mãos dos colaboradores, e que foi fixada em local de fácil visualização para reforçar esses valores durante o dia a dia. “No ambiente organizacional todas as funções estão ligadas, entender que eles estão ligados, que passam muito tempo juntos e podem contar um com o outro é super importante, é criar uma rede de apoio, de cooperação e união”, reforçou a Psicóloga organizacional, Priscila Gonçalo, que esteve à frente da ação.

Se sentir amado e acolhido é transformador, e de fato pode renovar as energias e pensando nisso os familiares da equipe clínica foram contatados e enviaram vídeos, fotos, áudios reforçando a admiração, o apoio e o amor por aquele ente querido, “alguns profissionais que atuam na clínica estão distantes de suas famílias, por se deslocarem de outras cidades para a capital, eles deixaram pai, mãe, irmãos, e com certeza essa ausência física abre margem para a saudade e através de recursos tecnológicos eles conseguiram emocionar, deixando lindo depoimentos para a nossa equipe”, relatou Vanessa Trevisan.

A mensagem de valorização a vida foi a principal pauta dessa ação, e deixa para nós a importante lição de respeito e empatia