Especialista ressalta importância da leitura lúdica para crianças: ‘leitura pode e deve ser divertida’

Em entrevista ao Paraíba Comunidade deste domingo (14), a professora de filosofia Coutinho, explica o quão fundamental é o processo de leitura para as crianças.

Dia do livro: conheça os autores mais cobrados no Enem.

A leitura é fundamental para o desenvolvimento social e psicológico das crianças. A especialista e professora de filosofia, Manu Coutinho explica como o processo de leitura impacta na vida das crianças e também a importância da contação de histórias para os pequenos. 

A entrevista com a professora foi exibida no Paraíba Comunidade deste domingo (14), que vai ao ar na TV Cabo Branco e TV Paraíba. 

Tipos de livros

Especialista ressalta importância da leitura lúdica para crianças: ‘leitura pode e deve ser divertida’

A especialista conta que a leitura pode fugir do tradicional e ir para o campo do lúdico não somente no conteúdo que está sendo lido, mas também na forma como o livro, quadrinho ou gibi está sendo lido. A forma do livro, segundo Manu Coutinho, aparece como uma das alternativas mais divertidas de fazer isso. 

“Deixa a criança pegar, deixa a criança manusear (o livro), porque eles são mais resistentes. Existem livros que podem ser de diferentes tipos, para diferentes idades. Tem o livro pra banho, pra deixar a criança morder, apertar, jogar no chão. Tem livros mais lúdicos, com personagens 3Ds e também livros que abrem de forma diferente”, disse. 

Ela disse que esses formatos ajudam a tornar a experiência em si da leitura mais leve, descontraída e não algo obrigatório. “A leitura pode e deve ser divertida”, ressaltou.

Contação de histórias 

Sobre a contação de histórias, Carlos Souza, que faz isso em escolas na Paraíba, diz que além do tipo do livro, é importante também a contação de histórias para as crianças, ainda quando os pequenos não sabem ler ou escrever. 

“Logo no início a criança não sabe, não conhece a leitura, e a contação de histórias ela abre esse espaço através das histórias, que abrem espaço para conhecer os nomes de cada personagem, vão entrando nesse mundo fantástico, que leva a criança a pensar, trabalhar a atenção, o ato de ouvir, que hoje em dia é uma das questões mais difíceis, ouvir o outro”, disse. 

Carlos Souza diz que na contação de histórias é possível trazer recursos lúdicos como bonecos e cenários que representam as histórias contidas nos livros para trazer ao mundo real o que é conferido nas páginas. 

“O livro é importante principalmente na época da tecnologia, que a gente vê muitos pais que pegam as crianças e passam muito tempo usando essas telas. É importante que a criança manuseie o livro e hoje temos livros feitos de tecidos, para que a criança possa ter esse contato direto”, disse. 

Clube de leitura 

Nem só as crianças precisam gerar o hábito da leitura, mas também os adolescentes que por ventura quando pequenos não tiveram contato com essa forma de obter conhecimento. Por isso, Manu Coutinho explica que clubes de leitura conjunta podem ser uma alternativa para quem é mais crescidinho ter contato com os livros. 

“Tá difícil de ler sozinho, não consegue ler sozinho, junta um grupo. Eu falo isso para os pais, o adolescente, a criança, sozinhas talvez não consigam ler, talvez precise de um pouco mais de estimulo. Manda um zap para o grupo das mães e pais da sala do filho e diz ‘vamos se juntar aqui a nossa garotada e vamos pôr para ler um livro’, aí um pai media, depois a mãe, escolhe o livro”, expõe como alternativa. 

Sobre os preços dos livros, que poderiam ser um impeditivo para algumas pessoas, ela diz que sebos, bibliotecas, arquivos na internet e outros podem ser caminhos possíveis de conseguir esses conteúdos mais baratos e até de graça.