Conheça o trabalho insano de quem está por trás das redes sociais de Juliette no BBB21

Equipe de 18 profissionais se reveza 24 horas por dia para manter o engajamento nas redes sociais de Juliette Freire.

Reprodução/TV Globo
Juliette Freire é a paraibana no BBB (Reprodução/TV Globo)

“Adm, eu passei mal nesse paredão. Eu me apeguei a ela real. Obrigada por serem tão eficientes”. A mensagem foi escrita na noite de terça-feira, 9 de fevereiro, por uma internauta, no perfil da advogada e maquiadora paraibana Juliette Freire no Twitter pouco depois de ela se livrar do segundo paredão do BBB21. Era apenas mais uma das milhares de mensagens que chegam nas diferentes redes sociais de Juliette todos os dias desde que ela foi escolhida para ser uma das 20 participantes do BBB21.

A paraibana corria o risco de ser precocemente eliminada da atração e acabou se salvando após dois dias de votações frenéticas, iniciadas ainda na noite de domingo (7), depois que o paredão havia sido formado. Não tardou, pessoas de todo o Brasil que estavam torcendo por Juliette foram aos perfis dela nas redes sociais para comemorar, expressar suas felicidades, comentar sobre a quantidade de votos que cada um deu para eliminar um outro participante, Arcrebiano, que acabaria de fato sendo o eliminado.

“Adm”, no caso, é a sigla para “administrador”. E usado genericamente pelos internautas para se referir a quem atualiza as redes sociais dos participantes enquanto eles estão confinados na casa. Uma entidade anônima, meio enigmática, cuja pessoa que de fato está do outro lado é desconhecida do grande público, e que esconde uma estrutura monstruosa. Que é cada vez mais profissional. No caso de Juliette, um time de 18 profissionais de marketing, comunicação e estudiosos em redes sociais.

Na verdade, tudo foi meio por acaso. De início, seria uma amiga de Juliette, chamada Déborah Vidjinsky, quem ficaria responsável pelas redes sociais da paraibana. Foi a ela quem Juliette confiou as senhas de seus perfis no dia em que foi para o hotel reservado pela Globo para que os participantes ficassem, já isolados, antes de adentrarem à casa. Essa amiga seria auxiliada por Huayna Tejo, um amigo de Juliette que atuaria também como empresário.

Contudo, foi mais ou menos nessa mesma época que Juliette foi anunciada como nova participante do programa. E, no mesmo dia, quase que instantaneamente, a audiência em torno da amiga aumentou consideravelmente. Déborah percebeu que a coisa não seria tão simples. Que a estrutura estava muito amadora. Impossível para apenas uma ou duas pessoas resolverem.

Juliette Freire em foto nas redes sociais: trabalho mais profissional quando descobriram a dimensão da coisa toda (Foto: Reprodução/Instagram)

Foi quando Déborah acionou a amiga Têca Falcão, formada em Rádio e TV pela Universidade Federal da Paraíba, em Publicidade e Propaganda pelo Iesp e com MBA em Marketing Digital, área em que ela se especializou e que atua há 15 anos. E, diante do pedido de socorro urgente, coube a Têca montar o resto da equipe. Os publicitários Candy Ferraz e Diego Lins; um profissional especializado em questões comerciais, Rallyson Targino; o editor de vídeo Romário Rodrigues; a fotógrafa Lara Imperiano; especialistas em redes sociais como Daniele Costa, Carol Figueiredo, Hugo Rocha; e tantos outros. A lista é enorme.

E a missão é de fato árdua. Manter os perfis do Twitter, do Instagram, do Facebook e do TikTok sempre atualizados. Produzir novos conteúdos, fazer a cobertura do que acontece com ela na casa, dar conta de todas as mensagens que chegam e respondê-las sempre que possível, “dialogar” com os perfis dos outros participantes para gerar engajamento, monitorar quem está falando dela e repercutir os famosos que a citarem. Tudo isso em forma de textos, vídeos, fotos.

O trabalho não para. Os profissionais se revezam e sempre tem alguém monitorando o que se passa na casa do BBB e nas redes sociais: 24 horas por dia. Cada um sabe exatamente o que tem que fazer. E, no caso, Têca é a criadora de conteúdo do perfil de Juliette no Instagram, a plataforma onde a paraibana tem melhor desempenho. Atualmente, são 7,8 milhões de pessoas que a seguem por lá. E os números não param se crescer.

Veja também  Série documental sobre a Chacina de Pioz está em produção na Espanha

“É uma experiência maravilhosa e desesperadora. É mágico ver mais de sete milhões de pessoas ali, conversando com você, mesmo sem ser você de verdade. E é desesperador pelo volume. É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Muito mais do que eu achava que seria no início”, explica Têca, que pela primeira vez trabalha como “adm” em meio a um programa como o BBB.

Têca Falcão tem 15 anos de experiência em marketing digital (Arquivo Pessoal)

Antes do programa, Juliette tinha menos de quatro mil seguidores no Instagram. Pulou para 500 mil quase que instantaneamente, pouco depois de ser anunciada no programa, e dez vezes mais, para cinco milhões, em menos de uma semana. A expectativa é que nos próximos dias chegue aos oito milhões. No Twitter, são mais 571,8 mil pessoas. No TikTok, quase 50 mil. No Facebook, mais de 40 mil pessoas.

Entre esses, alguns famosos. Elba Ramalho, Chico César, Wesley Safadão, Anitta, Neymar, Lucy Alves, Maria Gadu, Rafa Kalimann são alguns dos nomes que já interagiram com Juliette. Mas Têca relembra de um famoso em especial. “Certo dia, troquei mensagens com o ator e humorista Edu Sterblitch assim que acordei. Ele mandou um coração para Juliette, mas parecia que era para mim”, derrete-se Têca, sorridente.

Um desafio a mais é a questão da linguagem e do público das diferentes redes. Isso precisa ser levado em conta na hora da produção. TikTok é destinado a um público mais jovem. O Instagram é para “o pessoal do sofá”, que assiste ao BBB como um programa de entretenimento e é base da audiência da Globo. E o Twitter é território das torcidas organizadas, dos mutirões para pedir voto em época de paredão. “O Twitter é guerra”, resume.

Apesar do revezamento, Têca Falcão explica que a vida dela virou uma loucura. Dorme pouco, não está conseguindo se exercitar como deveria e a imunidade vem caindo. “A gente está sempre correndo contra o tempo. Porque lá dentro acontece tudo muito rápido e a gente precisa acompanhar. Basicamente, a gente descansa mais quando ela descansa lá também”, comenta.

Por fim, ela admite que é impossível não se envolver. Mas, às vezes, o trabalho exige que a equipe deixe de lado um pouco o pay per view. “Todos nós nos envolvemos muito. Mas na hora que o bicho pega, eu prefiro não ver. Para me concentrar e resolver”, conclui.

Têca com o chapéu de couro que é usado em fotos de Juliette tiradas antes do confinamento: “a gente se envolve”