De férias em João Pessoa, Juliette avisa que não abre mão de seu papel social como cidadã

Paraibana diz que rótulo de celebridade é limitante e quer aproveitar a fama para defender temas importantes.

Juliette Freire

A paraibana Juliette Freire está de férias em João Pessoa. Revisitando as belezas da capital paraibana e impressionada com a sua condição de famosa desde que o BBB21 foi encerrado, ainda no primeiro semestre do ano. Mas, nesta segunda-feira (25), em entrevista exclusiva ao JPB2, ela comentou que “o rótulo de celebridade é muito limitante”. E que, muito por isso, não abre mão de sua história e de seu papel social como cidadã.

Juliette, pelo contrário, diz que quer aproveitar a fama e a sua trajetória atual para trabalhar por temas que lhe são caros, como a educação e o feminismo. E que não vai se omitir apenas por causa do sucesso.

De acordo com a paraibana, a fama não fará jamais ela esquecer de suas origens. “Eu vejo tudo isso com muito sentimento. Chegar aqui, e reconhecer o meu lugar, é reencontrar um sentimento de pertencimento”, descreve. Na Paraíba, portanto, ela diz que consegue se reencontrar consigo mesma.

Juliette falou também do lado difícil do sucesso. “O mais difícil é não poder ficar mais perto dos meus. É uma nova vida que me tirou um pouco desse convívio”, explica a advogada e agora celebridade, que está morando atualmente no Rio de Janeiro e vem ensaiando uma carreira como cantora.

Veja também  Músico paraibano Filosofino lança o EP Espaço Justo – 2º Ato

“Aqui eu encontro alegria. Encontro as pessoas que me conheciam antes do sucesso. Pessoas que me inspiram. Eu tenho muito orgulho dos paraibanos”, continua, falando de sua terra e de seu povo.

Por fim, ela diz que vê essa reciprocidade de seus conterrâneos, algo que a deixa muito emocionada. “Os paraibanos me defendem como se fossem minha família”, brinca.

No fim de semana, Juliette passeou de barco pela Praia de Jacaré, bem no momento do pôr-do-sol. Transmitiu tudo pelas suas redes sociais, que são seguidas por mais de 33 milhões de brasileiros, e disse que queria apresentar ao resto do país um símbolo de sua terra. “É uma memória marcante para mim”.

Acabou reconhecida. Foi ovacionada. Curtiu à distância com os conterrâneos que acenavam da costa. “Foi muito emocionante”, resumiu.