Greve da UFPB causa queda de até 90% no faturamento dos negócios

Durante o período de greve alguns estabelecimentos fecharam literalmente as portas.

Após 4 meses de greve de professores e funcionários  – a maior da história da Universidade Federal da Paraíba (UFPB),  o  primeiro dia de retorno às aulas  trouxe novamente movimentação, mas também avaliação do balanço de prejuízos dos empreendedores do Campus I em João Pessoa.

Alguns vendedores registraram  queda de até 90% no faturamento durante os mais de 120 dias de greve. Houve até estabelecimentos que fecharam  literalmente as portas no período. Apesar da demanda ainda não estar no seu ritmo normal, ontem  já era visível a movimentação de alunos nas lanchonetes e box de xerox na  Central de Aulas e outros em centros do campus.

PREVÊ RISCO ANUAL

Há mais de 20 anos trabalhando em uma lanchonete na federal da capital, o microempreendedor Samuel Vieira revelou que costuma se prevenir para os riscos de greve.

“Evito estocar muito produto, faço reserva e uso capital de giro para quitar dívidas. Meu prejuízo foi de 90% durante a greve. A sorte é que não tenho empregado, são quatro irmãos trabalhando no local e nas dificuldades cada um se vira como pode”, frisou.

Gilvandro Vieira é funcionário de outra lanchonete do Campus I e também confirmou a queda de 90% no faturamento. “Se o empresário não tiver reserva durante a greve, quebra. O movimento neste primeiro dia representou 80% da demanda normal, mas na próxima semana o retorno deverá ser completo”.

No quiosque que fica em frente à Praça da Alegria, no CCHLA, dona Francisca  Bandeira frisou que com a queda de 90% deixou de faturar  R$ 15 mil nos últimos 4 meses. “O dono é meu filho, Francisco Bandeira, e ele sobrevive deste negócio. Nesse período ele comprou muito fiado no cartão para poder manter a lanchonete”.

FECHOU BOX

A situação de Bruno Cézar, que trabalha fazendo cópias, foi mais crítica porque ele preferiu fechar o box. “Por mês deixei de ganhar cerca de 1.500.  A sorte é que tenho outro trabalho, mas essa atividade representa 50% da minha renda mensal”.

Veja também  Gasolina tem variação de até 32 centavos em João Pessoa, e valor mais alto é R$ 6.66