Parada em Soledade: venda de produtos artesanais tem alta na pandemia e produção de queijos de cabra segue tendência

Em 2020 a busca por produtos orgânicos subiu cerca de 30%

Ao viajar pelo interior da Paraíba, se o trajeto incluir o Cariri, poucos são os que dispensam uma parada em Soledade. A cidade localizada a 310 quilômetros da capital é conhecida pela mesa farta na beira da estrada e os produtos derivados do leite de cabra. O queijo é um queridinho e tem de todos os tipos, para todos os gostos. 

Por isso, o programa Paraíba Comunidade deste domingo (19), atração das TVs Cabo Branco e Paraíba, foi à região entender a cadeia produtiva da caprinocultura. 

Considerada uma das marcas da culinária paraibana, o queijo de cabra de Soledade tem muita história e carrega consigo uma leva de produtores que transformaram o manejo das cabras numa fonte de renda para além do leite. Apesar do tom saudosista e de tradição, o produto tem figurado entre os principais para quem se inseriu recentemente na venda de artigos alimentícios artesanais, e encontrou na área um comércio promissor. 

Nova geração

Rafael Oliveira é um dos que decidiram investir, durante a pandemia, no crescimento regional através da produção de queijos de cabra. Apesar do período desafiador, foi após fechar a compra de um sítio em Soledade que o produtor de Campina Grande decidiu abraçar um novo desafio. 

A caprinocultura teve início na família de Rafael com o objetivo de venda de carne e pratos derivados dos cortes. Mas, com o passar dos meses, eles viram no leite de cabra mais uma possibilidade de renda. Junto à Associação de Caprinocultura da cidade, o negócio deu passos através da produção leiteira. Mas foi depois de uma experiência educacional que Rafael se pôs no mercado como produtor de alimentos variados com base no leite de cabra, tendo o queijo como protagonista.

Em uma parceria que une o Sebrae PB, a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e a Prefeitura de Soledade, um curso de formação de produtores artesanais com base na caprinocultura é oferecido. As aulas são ministradas na Fazenda Pendência, local que tem histórico de criação dos animais, pesquisas de melhoramento genético e tem as atividades acompanhadas pela Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (EMPAER).

Produtores rurais recebem dicas que passam por toda cadeia produtiva. Foto: Reprodução/Tv Cabo Branco

No curso os produtores rurais recebem dicas que passam pelo manejo dos animais, para garantia da qualidade do leite, até a apresentação dos produtos que chegam pro consumidor final. Foi através dessa oportunidade que, em dezembro de 2020, Rafael agregou a produção e comercialização de derivados do leite de cabra ao seu negócio.

Mercado em ascensão 

O interesse de Rafael surgiu ao perceber que mais olhares estão voltados para produtos artesanais. São esses os itens produzidos em pequena escala, respeitando os processos do alimento e, quando orgânicos, da natureza. Em 2020 o setor cresceu 30% em comparação a 2019, segundo a Associação de Promoção dos Orgânicos (Organis). Os alimentos artesanais seguiram a tendência.

Os clientes se interessam, principalmente, pelo  sabor e pela qualidade do que estão consumindo. Mas saber quem está produzindo, além de valorizar a economia local, são aspectos que têm pesado na hora da escolha.

Para o professor de gastronomia Adilson Santana, o crescimento da venda de produtos artesanais também tem a ver com maior consciência: “as pessoas começaram a questionar a origem dos alimentos, querem comida de verdade, que estejam em consonância com o meio ambiente e o bem estar humano”, acredita.

De acordo com a engenheira de alimentos e uma das professoras do curso para caprinocultores em Soledade, Thaísa Abrantes, os produtores rurais estão interessados em manter em alta a qualidade e excelência dos produtos que oferecem. Ela explica que para garantir um bom queijo de cabra a qualidade da matéria prima é decisiva. “O leite de origem tem que ser um bom leite, e o controle do processo produtivo para que seja eficiente é primordial”, afirma. 

É na cozinha do pequeno sítio que Rafael Oliveira tem alargado a produção cada dia mais, trabalhando de sexta a domingo. No começo, o quantitativo não passava de quatro queijos por final de semana. Depois de meses de formação e se dedicando aos produtos artesanais, hoje ele chega a 40 queijos por fim de semana.

Hoje Rafael chega a produzir 40 queijos artesanais por fim de semana. Foto: Arquivo Pessoal

Outra dinâmica que mudou o rumo dos negócios na cidade foi o uso de redes sociais para comercialização dos produtos. É na internet que Rafael vende a maior parte dos produtos. E apesar de não viver exclusivamente da caprinocultura, Rafael vislumbra um futuro na área. O queijo não está sozinho, a cozinha divide espaço com a produção de iogurtes, doces, requeijão e ricota, tudo à base de leite de cabra. E é por isso que ele se organiza para que possa, em pouco tempo, transformar o pequeno espaço do sítio numa agroindústria. 

Tem para todos os gostos

A fama de Soledade e a relação com a caprinocultura é de tempos, mas produtores e especialistas no assunto acreditam que um impeditivo é o preconceito que muita gente tem com produtos que tem como base o leite de cabra. A engenheira Thaísa Abrantes explica que o cheiro forte, atribuído ao leite e aos produtos, é lenda e deriva de um manejo mal feito. 

“Uma forma de afastar esse receio é explicando que, se a fêmea que dá origem ao leite estiver distante do macho durante o manejo esse cheiro forte não vai existir, tudo depende da qualidade do processo produtivo”, descreve. Thaísa ainda garante que o leite de cabra tem um teor nutricional alto, com boa digestibilidade e baixo percentual de gordura. 

O cuidado com o manejo dos animais é primordial para qualidade dos produtos. Foto: Reprodução/ Tv Cabo Branco

Outro ponto que se destaca na produção artesanal de queijos de cabra são as possibilidades de uso de condimentos e ervas, sem que qualquer tipo de regulamentação sanitária seja descumprida. Esse é um dos motivos pelos quais a engenheira de alimentos acredita que o mercado esteja em alta, pela pluralidade de sabores oferecidos pelos pequenos produtores. 

Na gastronomia, o queijo de cabra desponta como queridinho de muitas receitas. O gastrônomo Adilson Santana destaca combinações que exaltam as características gustativas do queijo, como frutas, mel, oleaginosas, especiarias e molhos variados.