Aprovado em medicina após oito tentativas diz onde não errar e dá dicas de estudos: ‘sua hora chega’

Medicina é sonho de Emmanuel desde que ele tinha cinco anos de idade.

Emmanuel com provas anteriores do Enem. Foto: Arquivo pessoal.

Oito anos depois da primeira tentativa, Emmanuel Almeida Carvalho, de 24 anos, comemora a realização de um dos maiores sonhos que já alimentou. Ele foi aprovado no Sistema de Seleção Unificado (Sisu) 2024 e ocupa a 3ª posição na lista de feras do curso de medicina na Universidade Federal de Campina Grande, cidade onde nasceu e mora.

Ao todo, o jovem fez o Enem nove vezes. A primeira, em 2015, ainda no ensino médio em uma escola particular, foi apenas um treino. Entre 2016 e 2023 as provas foram feitas para valer.

Depois de tanto esforço, em alguns momentos faltam até palavras que possam explicar a alegria de receber a notícia da aprovação.

“É indescritível, é uma felicidade imensa. Parece que tirei uma tonelada das minhas costas. Cada frustração que senti, negação, pontuação que chegava perto. Bati muitas vezes na trave e era muito angustiante esse processo. Essa era a minha última tentativa, de fato”, revelou.

Erros e acertos ao longo de oito tentativas nos estudos para medicina

Emmanuel tem certeza que o que mais o prejudicou durante os estudos para o Enem foi negligenciar os cuidados com a saúde mental que, para ele, se mostrou essencial para uma boa preparação e também para amenizar a ansiedade na hora da prova. O único ano em que esse aspecto foi trabalhado foi em 2023, que o levou até a aprovação.

O suporte para a saúde mental partiu da psicóloga da equipe de assessoria que Emmanuel fez parte como aluno e monitor, função que fez com que ele conseguisse um desconto e pudesse também ter acesso ao serviço.

“Assim você tem um direcionamento pra fazer a prova, sobre o que funciona pra você”, reforçou.

Emmanuel comemorando a aprovação em medicina
Emmanuel comemorando a aprovação em medicina. Foto: Arquivo pessoal.

Dicas para quem está no processo de estudos para medicina ou outro curso

Com anos de experiência acumulada, o fera de medicina tem dicas para compartilhar com quem vai começar a estudar ou quem ainda não alcançou o resultado que espera no Enem.
“Quem tá começando tem que ter uma base, assistir aula, prestar atenção nos professores. Quem tá mais adiantando tem que fazer mais questões e simulados”, recomendou.

Os simulados surtiram um bom efeito nos estudos de Emmanuel. Somente em 2023, eles resolveu pelo menos 60 deles.

Outras orientações do paraibano são identificar em qual horário do dia os estudos rendem mais, praticar atividades físicas e ter momentos de lazer. Para ele, funcionou bem ir ao cinema cerca de duas vezes por mês.

“O importante é você aproveitar a jornada. Não adianta só pensar na aprovação. Sua hora chega. Estude, persista. Seu sonho é muito importante. Batalhe e conquiste e conquiste ele. A hora de cada um vai chegar”, concluiu.

A importância do apoio da família

Desde que Emmanuel, que é filho de uma professora e de um caminhoneiro, começou a tentar ser aprovado em medicina, contou com um apoio especial e, além disso, essencial. A mãe, o pai e o irmão sempre tinham uma palavra de incentivo.

“Principalmente da minha mãe. Quando tava prestes a desistir, estava triste, olhava pra ela, e ela falava coisas que me deixavam alegre. E isso mudava meu sentimento”, detalhou.
O irmão do paraibano também o ajudou na caminhada, que não foi curta. Os filmes assistidos com ele foram usados como repertório em várias redações do Enem.

Além disso, o jovem ainda tinha exemplos com quem contar. Dois tios dele, que hoje são médicos, levaram de seis a sete anos para que pudessem passar no vestibular.

“Eu conhecia o processo e sabia que não seria fácil, que não era mágica e não aconteceria num estalar de dedos. Sabia que tinha que ter uma constância. Porque a hora chega pra todo mundo, mas você tem que estar preparado e não desperdiçar quando chegar a sua hora”, destacou.