Depósito é atingindo por incêndio e tem prejuízo de quase R$ 70 mil, no Sertão

Outro incêndio foi registrado no mesmo dia, também no Sertão da Paraíba, e teria dificultado o trabalho do Corpo de Bombeiros.

Dois grandes incêndios foram registrados, nesta terça-feira (7), no Sertão da Paraíba. Um aconteceu em um depósito de materiais recicláveis, às margens da BR-230, em Cajazeiras, e o outro foi em São João do Rio do Peixe, onde o fogo quase atingiu um hotel. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, os dois incêndios podem ter acontecido por causa da vegetação seca.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros, Valdimario Tolim, no incêndio que aconteceu no depósito de matérias recicláveis, as equipes tiveram dificuldade para combater as chamas, porque elas se alastraram rapidamente devido à grande quantidade de garrafas pet armazenadas no local.

O fogo teria começado em uma vegetação, próxima ao depósito de material reciclável. Quando o Corpo de Bombeiros foi reabastecer o veículo e voltou, o fogo já havia atingido o depósito. As chamas destruíram o local e lançaram no ar nuvens de fumaça tóxica. Além dos materiais recicláveis, dois carros também foram atingidos.

Veja também  Terceiro fim de semana do São João de Campina Grande 2022 teve show de Juliette, presença de Bolsonaro e gritos pró-Lula

Segundo o proprietário do depósito, o prejuízo pode ser de R$ 70 mil.

O Corpo de Bombeiros informou que teve dificuldade para conter as chamas, pois um dos veículos estava atendendo a outra ocorrência de incêndio, que estava acontecendo perto de um hotel, na região de São João do Rio do Peixe.

Em São João do Rio do Peixe, o fogo não chegou a atingir as dependências do hotel, somente as margens, ficando mais concentrado na vegetação.

“As chamas tinham levado grande parte da vegetação, mas foram contidas rapidamente, evitando danos matérias ao hotel”, disse o tenente

No final do dia, os dois incêndios foram controlados e contidos. O Corpo de Bombeiros ainda informou que, por mais que a origem do fogo pode ter sido a vegetação seca, ainda continua realizando pericia nos locais.