Jovem confessa que matou namorada asfixiada após festa de Natal

Namorado da jovem foi detido, chegou a negar crime, mas depois confessou que asfixiou a jovem.

Familiares ainda tentaram levar Gizely ao hospital, mas ela já estava morta (Foto: Reprodução)

Uma jovem de 24 anos foi encontrada morta, na manhã desta terça-feira (25), no bairro do Roger, em João Pessoa. Segundo a Polícia Civil, o corpo de Gizely Medeiros tinha sinais de agressão e os exames periciais confirmaram que ela morreu asfixiada.

O namorado da vítima foi detido, chegou a negar envolvimento no crime, mas depois confessou ter asfixiado a jovem depois de uma briga. O filho da jovem, de 4 anos, estava no local. O rapaz também confessou que depois da morte de Gizely, dormiu no local, esperou o dia amanhecer e só então saiu da casa na sua moto.

Gizely Medeiros morava em uma casa nos fundos da residência dos pais e os famíliares a encontraram morta por volta das 9h. A princípio eles acharam que ele estivesse apenas desacordada. “Constaram ela ‘apagada’. Tentando socorrer, chamaram um táxi de um conhecido e a colocaram para que ela fosse levada ao hospital. O Samu compareceu ao local e constatou o óbito”, relatou o delegado Diego Garcia, que registrou o caso, em entrevista à TV Cabo Branco.

A jovem estava com o namorado e com outras pessoas comemorando o Natal na noite de segunda-feira (24). O delegado disse que o namorado tomou uma atitude muito suspeita, tendo em vista que deixou o corpo da jovem na cama e saiu levando pertences dela e de outras pessoas que estavam na festa.

“O namorado dela provavelmente viu que ela agonizava, não acionou ninguém da família de Gizely. Subtraiu pertences da vítima e de outras pessoas que estavam no local”, completou.

No começo da tarde, o namorado da jovem, Lucas Perreira, foi localizado em casa, no bairro de Cruz da Armas, e levado para prestar esclarecimentos na Central de Polícia de João Pessoa. O delegado Diego Garcia disse ao JORNAL DA PARAÍBA que ele, inicialmente, negou que tivesse agredido Gizely. Lucas disse que a morte da namorada teria sido causada por consumo de drogas, afirmando que além de álcool, eles usaram cocaína juntos. Lucas disse ainda que quando saiu da casa de Gizely,no começo da manha ela estava bem.

A pericia preliminar do Instituto de Polícia Científica (IPC) confirmou que Gizely tinha hematomas pelo braço e abdômen e também vestígios de vômito. “Está constatado que ela sofreu uma agressão em vida, mas não se sabe se essa agressão foi a causadora da morte da vítima”, afirmou a perita Amanda Melo.

Lucas Pereira Cavalcante está preso na carceragem da Central de Polícia Civil de João Pessoa e deve passar por uma audiência de custódia na quarta-feira (26). Ele já responde em liberdade pelo crime de roubo.