João Pessoa é a capital brasileira onde mais se lê, aponta pesquisa

Estudo ‘Retratos da Leitura’ também mostra que apenas 8% da ‘Classe A’ pessoense lê.

A capital paraibana João Pessoa ficou em primeiro lugar no ranking das capitais brasileiras onde a população mais lê. Segundo a 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro, divulgada nesta segunda-feira (9). 64% dos pessoenses são leitores. A porcentagem corresponde a 484 mil pessoas, e é a maior entre todas as capitais do Brasil.

O estudo considera como sendo leitores pessoas que leram, inteiro ou em partes, pelo menos um livro nos últimos três meses antes do levantamento. Em todo o país, cerca de 8 mil pessoas foram ouvidas em 208 municípios, entre os meses de outubro de 2019 e janeiro de 2020.

Segundo a pesquisa, o nível de leitura entre as capitais brasileiras é o seguinte:

  • João Pessoa (PB) –  64%
  • Curitiba (PR) – 63%
  • Manaus (AM) – 62%
  • Belém (PA) – 61%
  • São Paulo (SP) – 60%
  • Teresina (PI) – 59%
  • São Luís (MA) – 59%
  • Aracaju (SE) – 58%
  • Salvador (BA) – 57%
  • Florianópolis (SC) – 56%
  • Vitória (ES) – 55%
  • Fortaleza (CE) – 54%
  • Belo Horizonte (MG) – 53%
  • Porto Alegre (RS) – 52%
  • Recife (PE) – 52%
  • Cuiabá (MT) – 52%
  • Palmas (TO) – 52%
  • Macapá (AP) – 51%
  • Porto Velho (RO) – 51%
  • Rio Branco (AC) – 49%
  • Natal (RN) – 48%
  • Rio de Janeiro (RJ) – 47%
  • Goiânia (GO) – 42%
  • Maceió (AL) – 37%
  • Campo Grande (MS) – 22%
  • Boa Vista (RR) – Em apuração

 

Perfil do leitor em João Pessoa

 

Em João Pessoa, a pesquisa constatou que a maioria dos leitores é composta por mulheres (56%), enquanto 44% são homens. Na faixa etária, 41% têm idades entre 18 e 39 anos; enquanto 35%. possuem mais de 40 anos; e 23%, menos de 17 anos. Já no campo instrução, 38% possuem ensino superior; 34%, ensino fundamental; e 82%, ensino médio.

Outro dado importante identificado no levantamento é que a chamada ‘Classe A’, composta por pessoas com alto poder aquisitivo, é a que menos lê na capital paraibana (8%), enquanto as Classes B e C são as que mais leem (75%). A pesquisa também constatou que 50% dos leitores pessoenses são compradores de livros, enquanto os outros 50% não são compradores.

 

Motivos para ler

 

Nos últimos 12 meses, antes da realização da pesquisa, a maioria dos leitores consultados em João Pessoa, 67% do total, leram livros por vontade própria, enquanto apenas 20% leram obras indicadas pela escola. Outros 66% leram apenas partes de livros, enquanto 48% conseguiram ler obras inteiras.

A maior parte dos leitores pessoenses (26%) também respondeu que ler porquê gosta; 22% disse que ler para obter crescimento pessoal e 16% para conseguir atualização cultural ou conhecimento geral. Na hora de escolher um livro para comprar, os leitores da capital paraibana levam em consideração o tema ou o assunto (41%); 12% o título do livro ou indicação de algum professor; 11% dicas de outras pessoas.

Já entre as pessoas que não leem em João Pessoa, 47% responderam que não o fazem por falta de tempo; 12% porque preferem outras atividades; 16% porque não têm paciência para ler. Ao menos 5% das pessoas consultadas responderam que não sabem ler.

 

Outros formatos

 

O estudo também revelou que a leitura está ganhando novos formatos. Segundo os dados, 25% dos leitores pessoenses já ouviram algum audiolivro (livro falado), e 23% disseram que já leram algum livro no formato digital. No entanto, na hora da compra, a maioria dos leitores continua preferindo livrarias físicas (49%), enquanto apenas 15% compraram em livrarias online. Outros 29% adquiriram tanto livros em papel quanto em formatos digitais.

As idas à bibliotecas também apresentou uma queda, já que cerca de 64% dos entrevistados responderam que não frequentam os locais, enquanto 18% disse que frequenta raramente. Entre os outros 18% que frequentam bibliotecas raramente, grande parte (41%) frequenta bibliotecas públicas.