Esquecida pela classe política, Transposição está há quase 1 ano sem trazer água para a Paraíba

De acordo com AESA, água do São Francisco chegou pela última vez na Paraíba em fevereiro de 2020

Foto: reprodução

O Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco foi inaugurado, às pressas, em março de 2017. Na época a obra milionária foi anunciada como a redenção para os problemas hídricos do Estado e serviu, é bem verdade, para socorrer Campina Grande de um colapso total no abastecimento.
Mas hoje, passados quase quatro anos, a obra foi ‘esquecida’ pela classe política e o pior: tem tido pouca efetividade quando o assunto é trazer água do Velho Chico para a Paraíba.
Hoje pela manhã, em entrevista à imprensa, o presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA), Porfírio Loureiro, fez uma revelação preocupante: desde de fevereiro de 2020 a Paraíba não recebe uma gota sequer de água através da Transposição.
A região do Cariri está numa situação hídrica relativamente confortável, é verdade; mas a população ribeirinha, que também deveria ser beneficiada com a obra, praticamente desconhece os benefícios trazidos por ela.
Os técnicos da AESA fizeram aberturas nos açudes de Poções, Camalaú e Cordeiro para perenizar o Rio Paraíba e garantir o sustento dos ribeirinhos. Enquanto isso as bombas da Transposição, que um dia representaram a esperança para milhares de paraibanos, continuam sem bombear água para o Estado.
A Transposição, tão festejada um dia, foi esquecida.

Veja também  STF mantém lei das custas judiciais da Paraíba, mesmo com valores entre os mais altos do país