Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Queiroga anuncia terceira dose e redução de intervalo da vacina a partir de 15 de setembro

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

Foto: divulgação

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (25) que a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 será oferecida no Brasil para idosos entre 70 e 80 anos e em imunossuprimidos a partir do dia 15 de setembro. De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, preferencialmente serão usadas a Pfizer, mas também poderão ser utilizadas a vacina da AstraZeneca e Janssen.

O ministro também disse que o intervalo entre as doses da Pfizer e da AstraZeneca será reduzido a partir de setembro: passará de 12 semanas para 8 semanas, como acontece no Reino Unido.

“Nos reunimos ontem com a Opas [Organização Pan-Americana de Saúde] e com o comitê técnico que assessora a imunização e tomamos a decisão”, afirmou.

A dose de reforço é indicada para os idosos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses. No caso dos imunossuprimidos, eles devem esperar 28 dias após a segunda dose.

Veja também  Mais de 60 municípios da Paraíba cancelaram festas de final de ano, afirma Famup

Os pacientes “imunossuprimidos” incluem por exemplo, pessoas com câncer, portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV), transplantados e outros com o sistema imune fragilizado, o que deixa o paciente mais suscetíveis a infecções.

Delta

Marcelo Queiroga diz que a decisão foi tomada diante da possibilidade de disseminação da variante Delta do coronavírus no Brasil.

Estudos já mostram que a primeira dose das vacinas, no caso da Delta, têm eficácia reduzida e não conseguem evitar boa parte das infecções. Com duas doses a proteção é maior.

Em João Pessoa

O secretário de Saúde de João Pessoa, Fábio Rocha, disse que a expectativa é que na capital a aplicação da terceira dose ocorra a partir do dia 20 de setembro, inclusive com a possibilidade de utilização de doses de marcas diferentes.