Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

No modelo híbrido, atividades presenciais das escolas da Paraíba começam nesta quinta-feira

O retorno vai acontecer de acordo com o Plano Educação para Todos em Tempos de Pandemia (PET-PB), de forma progressiva, com 70% das aulas remotas e 30% presenciais, divididas em  fases.

Sala de aula vazia em escola municipal de Patos, PB — Foto: Prefeitura de Patos/Divulgação

O governo da Paraíba anunciou que as escolas estaduais retomam as aulas presenciais, em modelo híbrido, nesta quinta-feira (23). O retorno vai acontecer de acordo com o Plano Educação para Todos em Tempos de Pandemia (PET-PB), de forma progressiva, com 70% das aulas remotas e 30% presenciais, divididas em  fases.

A primeira será com os estudantes da  Educação Infantil e do 1º ao 5º ano dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Depois de 15 dias, retornam os estudantes dos anos finais; e com mais 15 dias voltam os estudantes do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos. Nesta primeira fase 139 das 668 escolas da Rede retornam ao presencial.

Isso, a cada 15 dias, sendo feito um inquérito sorológico nas redes, para ver como está se dando a questão da prevalência da Covid-19 nesta população”, afirmou o secretário de Educação, Claudio Furtado.

O inquérito é uma ação da Secretaria de Estado da Saúde em parceria com a Universidade Estadual da Paraíba e Secretaria da Educação para a realização de teste de Covid-19 dentro das escolas.

Protocolos 

As turmas serão organizadas respeitando os protocolos sanitários e o distanciamento social,  com capacidade máxima de 50% dos estudantes em cada sala de aula, um grupo acompanhando presencialmente e outro com atividades remotas. Serão dois dias de aulas presenciais, com três horas diárias e três dias de aulas remotas.

De acordo com o governo, as escolas estão preparadas e seguirão os protocolos de segurança. Na entrada haverá a aferição de temperatura dos estudantes e  a higienização com álcool em gel. Os estudantes devem estar com máscara e os espaços físicos foram readequados para garantir o distanciamento mínimo de 1,5 metros.

Veja também  Doria vence prévias do PSDB para disputar a Presidência em 2022

Programa Dinheiro Direto na Escola Emergencial

O governador João Azevêdo assinou decreto que cria o Programa Dinheiro Direto na Escola Emergencial – PDDE Emergencial/PB, com a finalidade de transferir recursos financeiros para as escolas da Rede Estadual de Ensino, para que estas façam as adequações necessárias, segundo protocolo de segurança, para retorno às atividades presenciais, no contexto da situação de calamidade provocada pela pandemia da Covid-19. O decreto foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira (21).

Divisão de recursos

No mês de agosto, as escolas fizeram uma reunião envolvendo pais e toda comunidade escolar para decidirem a divisão do recurso financeiro do PDDE, que será destinado à cobertura de despesas de custeio na aquisição de itens de consumo para higienização do ambiente e das mãos, assim como para a compra de Equipamentos de Proteção Individual, com o objetivo de prevenir o contágio dos profissionais da escola, bem como dos alunos neste momento de pandemia, dentre outros serviços e projetos  voltados à recuperação da aprendizagem.

Também foi realizada uma escuta pública de forma virtual direcionada para pais e os demais profissionais da educação, com o objetivo de verificar a adesão ao ensino híbrido.

Informações da Ascom/Secretaria de Educação/PB