Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Funjope oferece consultoria a artistas que querem concorrer aos recursos da Lei Aldir Blanc

De acordo com o presidente da Funjope, Marcus Alves, os editais são resultado de uma série de reuniões com a comunidade e artistas e envolvem um investimento de R$ 1,8 milhão em recursos da Lei Aldir Blanc.

A Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) está realizando consultorias aos artistas para que eles possam concorrer a recursos da Lei Aldir Blanc. Doze editais estão abertos até o dia 12 de novembro.

Na última quinta-feira, a Funjope e a Central Única de Favelas (Cufa) realizaram um encontro no bairro Muçumagro. A expectativa é que a ação chegue a 25 territórios, auxiliando na construção de projetos e levando os editais da Lei Aldir Blanc (LAB) a setores considerados excluídos do processo de ajuda emergencial.

De acordo com o presidente da Funjope, Marcus Alves, os editais são resultado de uma série de reuniões com a comunidade de artistas e envolvem um investimento de R$ 1,8 milhão em recursos da Lei Aldir Blanc.

Segundo a Funjope, as discussões sobre a melhor forma de utilizar o recurso remanescente da LAB ocorreram durante dez reuniões com todos os fóruns de cultura, que também contribuíram com suas sugestões. Além deles, o Conselho Municipal de Cultura participou de quatro encontros.

Calendário de consultorias

As consultorias serão retomadas nesta quarta-feira (13), no bairro São José, na Associação Unificada dos Moradores, às 19h. Na quinta-feira (14), a atividade será no Centro Cultural Casa da Pólvora, às 14h e, na sexta (15), a reunião acontece no Centro Cultural Tenente Lucena, no bairro de Mangabeira, às 19h.

Editais

O edital de concurso Prêmio Culturas Populares ‘Mestre Manoel Baixinho’  vai premiar iniciativas realizadas ou em andamento de mestres, aprendizes, contramestres, agentes culturais, arte educadores, artesãos, artesãs, fazedores e iniciativas que representem as culturas populares em João Pessoa, tendo em vista o auxílio emergencial da Cultura durante o estado de calamidade pública. Serão selecionadas até 44 iniciativas culturais para premiação no valor unitário de R$ 5 mil.

Veja também  João Azevêdo defende federação partidária e Cidadania pode se unir ao PSDB

Outro edital é o ‘Mãe Edith de Yansã’, no valor de R$ 880 mil, que prevê concessão de incentivos para propostas que se enquadrem nos eixos de produção de conteúdo, envolvendo atividades artísticas e culturais, além da formação e qualificação profissional. Os trabalhos podem ser individuais ou coletivos. Cada proponente poderá inscrever apenas um trabalho.

O edital Prêmio João Balula vai premiar iniciativas realizadas ou em andamento de artistas, mestres negros, grupos, coletivos, comunidades de matriz africana e de terreiros geridos por pessoas negras, também tendo em vista o auxílio emergencial em razão da pandemia da Covid-19. Para o edital será disponibilizado o valor de R$ 475 mil para até 95 iniciativas culturais selecionadas. O valor unitário da premiação é de R$ 5 mil.

O edital de chamada pública n° 00003/2021 prevê a concessão de subsídio mensal para a manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas, instituições e organizações culturais comunitárias que tiveram as suas atividades interrompidas por força das medidas de isolamento social. Serão disponibilizados R$ 300 mil, sendo 30% destinados a espaços culturais administrados por pessoas negras.

O link para ter acesso aos editais está em transparencia.joaopessoa.pb.gov.br

Com informações da Funjope