Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Prefeituras da Paraíba proíbem festas e ‘endurecem’ protocolos após aumento de casos

O novo aumento de casos confirmados de Covid-19 e o surto da H3N2 ‘acendeu’ o sinal de alerta em duas prefeituras do Sertão paraibano: Uiraúna e Bonito de Santa Fé.

Carro de som com alerta de toque de recolher “assusta” moradores de Serra da Raiz
Foto: divulgação

O novo aumento de casos confirmados de Covid-19 e o surto da H3N2 ‘acendeu’ o sinal de alerta em duas prefeituras do Sertão paraibano: Uiraúna e Bonito de Santa Fé. Nas duas cidades a população terá que voltar a experimentar medidas mais duras de protocolos sanitários nas próximas semanas. Os atos foram publicados no Diário Oficial do Município desta terça-feira (25).

Os novos decretos contém medidas restritivas mais duras em relação à realização de eventos com aglomeração e de endurecimento dos protocolos sanitárias para entrada e permanência em ambientes em que naturalmente as pessoas ficam sem máscaras como bares e restaurantes.

O decreto de Uiraúna proíbe até o dia 10 de fevereiro de 2022, a realização de festas dançantes, shows e similares em
ambientes públicos ou privados, bem como cavalgadas, vaquejadas, bingos, festas dançantes em bares, restaurantes, espetinhos e similares, além de qualquer evento musical ou cultural que provoque aglomeração de pessoas.

Veja também  Senadora da Paraíba testa positivo para Covid-19

Os estabelecimentos devem exigir o cartão de vacinação para autorizar o ingresso das pessoas, devendo constar as
doses dos imunizantes que foram aplicados. Detalhe: em caso de descumprimento, o estabelecimento terá que pagar multa de 1 a 10 salários mínimos e terá o alvará de funcionamento cassado.

Bonito de Santa Fé

Já o decreto de Bonito de Santa Fé limita o funcionamento de bares e restaurantes até às 23h e com 30% da capacidade de público, incluindo o espaço aberto ou calçada. Além disso, deverá ser respeitado o distanciamento entre as meses de 2 metros e ocupação máxima de 4 pessoas por mesa. As medidas vigoram até o dia 31 de janeiro.

O novo decreto também proíbe a realização de eventos sociais s, festas em chácaras ou balneários, corporativos e eventos esportivos ou qualquer tipo de aglomeração. Missa e cultos tiveram a capacidade de público reduzida para 50%.