Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

MBL processa Juliette por ato pró-Lula no show em Caruaru

O episódio que resultou no processo foi um show no São João de Caruaru, em Pernambuco, no último sábado (2).

Foto: Reprodução/Instagram.

Os integrantes do MBL (Movimento Brasil Livre) protocolaram uma representação no Ministério Público Eleitoral contra a cantora paraibana Juliette, e o ex-presidente Lula, por suposta campanha antecipada.

O episódio que resultou no processo foi um show no São João de Caruaru, em Pernambuco, no último sábado (2) em que a plateia gritou frases de homenagem a Lula, recebendo apoio da cantora.

Juliette já havia se manifestado positivamente aos eleitores do petista, de forma mais discreta, no Maior São João do Mundo, em Campina Grande.

A ação foi movida por Rubinho Nunes (União Brasil), pré-candidato a deputado federal e atualmente vereador por São Paulo, e Guto Zacarias (União Brasil), pré-candidato a deputado estadual também por São Paulo.

Veja também  Ricardo apresenta recurso no STF contra decisão de Rosa Weber pela inelegibilidade

Nas redes sociais, Rubinho acusa Juliette de “usar dinheiro público para cometer dois ilícitos eleitorais: campanha antecipada e realização de showmício pró-Lula”.

A declaração sobre o processo repercutiu negativamente entre famosos e apoiadores da artista nas redes sociais.

Juliette também comentou sobre a reclamação dos líderes do MBL. Sem citar nomes, ela comentou sobre a tese que passou a circular nos comentários da postagem do político, de que ele estaria tentando pegar carona na sua visibilidade para se tornar mais conhecido.