Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Em busca de representatividade, mulher trans se candidata a vaga na ALPB

Nicole D’Lamarck, de 38 anos, vai disputar uma vaga na Assembleia Legislativa da Paraíba pelo PSDB.

Foto: divulgação

Em busca de representatividade, mais um LGBTQIA+ se apresentou para a disputa eleitoral deste ano na Paraíba. Secretária de Diversidade Humana do PSDB, Nicole D’Lamarck, de 38 anos, busca ser primeira mulher trans a ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) nas Eleições 2022.

Candidata a deputada estadual, Nicole afirma que aceitou o convite do partido porque acredita que, se eleita como parlamentar trans, vai impulsionar e encorajar mais pessoas que abrangem a comunidade LGBTQIA+, a lutar por políticas públicas de apoio as identidades de gênero.

“Entrar no Parlamento estadual, além de ser histórico, será importante para conquistarmos espaços e podermos lutar e trabalhar pela igualdade de gênero e o combate a intolerância religiosa. Por isso, estamos colocando o nosso nome à disposição dos paraibanos nas eleições desse ano”, revela Nicole.

Veja também  Mais de 15 mil crianças foram registradas na Paraíba sem o nome do pai nos últimos cinco anos

Para as eleições deste ano, a Paraíba já conta com uma representante LGBTQIA+, através da candidatura coletiva do PSOL com Luyz Mariano, um homens trans, que foi apresentada para a disputa eleitoral à Assembleia Legislativa deste ano. Até o fim do prazo do registro das candidaturas, no dia 15 de agosto, outras podem surgir.

A Paraíba já teve uma transexual na política. Fernanda Bevenuty, que faleceu em 2020, tentou um espaço na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) e também concorreu uma vaga na ALPB. Apesar de ter tido um ótimo desempenho nas urnas, Bevenuty não conseguiu ser eleita.