Conversa Política

Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Deputados estaduais aprovam projeto que torna o “Tá na Mesa” um programa permanente

A expectativa é que o governo da Paraíba invista, anualmente, mais de R$ 53 milhões, por ano, para oferecer diariamente mais de 25 mil refeições ao preço de R$ 1,00.

Programa “Tá na Mesa” será permanente. Foto: Secom/PB
Programa “Tá na Mesa” será permanente. Foto: Secom/PB

A Assembleia Legislativa aprovou, na manhã desta terça-feira (14), o Projeto de Lei do Executivo que torna o “Tá na Mesa” um programa permanente de oferta de refeições a preços populares. A expectativa é que o governo da Paraíba invista, anualmente, mais de R$ 53 milhões, por ano, para oferecer diariamente mais de 25 mil refeições ao preço de R$ 1,00. O programa que teria um prazo de 90 dias, agora será estendido por tempo indeterminado.

O líder do governo na AL, deputado Wilson Filho (PTB), ressaltou que o programa vai garantir a segurança alimentar de milhares de famílias e tem contribuído para fomentar a economia nos 83 municípios contemplados.

Mensalmente serão mais de 500 mil refeições destinadas aos paraibanos que mais necessitam. Essa ação tem sido a alternativa para muitas pessoas se alimentarem diariamente, em uma época de crise econômica e pandemia, afirmou.

Segundo Wilson Filho, a Assembleia Legislativa da Paraíba cumpriu o seu papel de atender aos anseios da população. “Estamos dando nossa contribuição em prol dos que mais necessitam […] Ainda destacamos o empenho do secretário de Desenvolvimento Humano, Tibério Limeira, pela atuação em viabilizar essa grande ação”, afirmou Wilson Filho, também elogiando a sensibilidade do governador.

Veja também  Comissão da Câmara dos Deputados aprova Reforma Administrativa com voto contrário de paraibano

O Tá na Mesa 

O programa Tá na Mesa foi implantado em caráter emergencial em maio deste ano e atende 83 municípios do Estado, garantindo a distribuição de 250 alimentações diárias nos municípios que possuem entre 10 mil e 20 mil habitantes e de 400 refeições em municípios acima de 20 mil habitantes, assegurando o fornecimento de 552 mil almoços por mês.

As refeições são feitas por donos de restaurantes das cidades o que, segundo os defensores do programa, fortalece uma cadeia de geração de emprego e renda em várias áreas, de agricultura familiar a comércio de alimentos.  “É uma forma de ajudar aos donos dos estabelecimentos a se reerguerem depois de um longo período de perdas em decorrência da pandemia. O programa tem contribuído para a geração de emprego e melhoria da qualidade de vida das pessoas em todos os recantos da Paraíba”, acrescentou o líder do governo.