Paraibano Tércio Arnaud, ex-assessor de Bolsonaro, é alvo de busca e apreensão da PF

Ele ficou conhecido como um dos cabeças do chamado “gabinete do ódio”. Responsável por espalhar notícias falsos contra “adversários/inimigos” políticos do ex-presidente. 

Foto: Arquivo Jornal da Paraíba

A Polícia Federal deflagrou uma operação nesta quinta-feira (8) com buscas e mandados de prisão contra aliados militares ou políticos de primeira hora do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Entre os alvos está o paraibano, ex-assessor do ex-presidente, o paraibano de Campina Grande, Tércio Arnaud. Ele ficou conhecido como um dos cabeças do chamado “gabinete do ódio”. Responsável por espalhar notícias falsos contra “adversários/inimigos” políticos do ex-presidente.

+ Quem é Tércio Arnaud, ex-assessor de Bolsonaro

Segundo Isabela Leite, do blog Andréa Sadi, o paraibano estava com Jair Bolsonaro (PL) em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, quando teve o aparelho apreendido.

As ordens foram expedidas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que determinou que Bolsonaro entregue o passaporte e não fale com outros investigados.

A investigação tenta elucidar a participação dessas pessoas nos atos do dia 8 de janeiro, quando milhares de manifestantes invadiram e depredaram as sedes dos Três Poderes (Planalto, Congresso e Supremo).

Passaporte e silêncio

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes também mandou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) entregar o passaporte em 24 horas em uma operação que investiga uma tentativa de golpe de Estado para mantê-lo no poder mesmo com a derrota nas eleições de 2022.

Procurada pelo blog, a defesa de Bolsonaro confirmou a ordem. O ex-presidente está Angra dos Reis(RJ), na casa de veraneio que tem na praia de Mambucaba, segundo o advogado Luiz Eduardo Kuntz, advogado de um dos alvos da operação.

Bolsonaro também foi proibido por Moraes de fazer contato com investigados na operação, deflagrada nesta quinta.

Também são alvos de buscas:

-General Braga Netto, ex-ministro da Defesa e da Casa Civil;
-General Augusto Heleno, ex-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI);
-General Paulo Sérgio Nogueira, ex-ministro da Defesa;
-General Estevam Cals Theóphilo Gaspar de Oliveira, ex-chefe do Comando de Operações Terrestres do Exército;
-Almirante Almir Garnier Santos, ex-comandante-geral da Marinha;
-Anderson Torres, delegado da PF e ex-ministro da Justiça;
-Valdemar Costa Neto, presidente do PL, partido de Bolsonaro;
-Ailton Barros, coronel reformado do Exército.

Foram presos, segundo o blog da Andréia Sadi:

-Filipe Martins, ex-assessor especial de Bolsonaro;
-Marcelo Câmara, coronel do Exército e ex-ajudante de ordens de Bolsonaro citado no inquérito que apura os -presentes recebidos pelo ex-presidente.

Com informações do g1/Blog Andréia Sadi