Líder do União, Efraim comemora voto contra cassação de Moro no TRE-PR

Em publicação nas redes sociais, Efraim disse que o União Brasil ‘reafirma’ apoio ao ex-juiz da Lava-Jato.

Efraim Filho e Sérgio Moro no plenário do Senado / Foto: reprodução

O senador paraibano Efraim Filho celebrou, nesta segunda-feira (01), em publicação nas redes sociais, o voto proferido pelo desembargador Luciano Carrasco Falavinha, do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), contra a cassação do senador Sérgio Moro (União-PR).

Líder do União Brasil no Senado, Efraim acompanha com expectativa o desenrolar do julgamento das duas ações que pedem a cassação do parlamentar que é ex-juiz da Lava-Jato e foi eleito na esteira do discurso de combate à corrupção. Em publicação no X (antigo Twitter), Efraim disse que o partido ‘reafirma’ apoio a Moro.

Estamos confiantes no resultado final que prestigie a legalidade, a justiça e a escolha democrática dos eleitores do Paraná, escreveu.

Com a publicação nas redes sociais, Efraim promove um gesto público e partidário em relação ao colega, em meio a desconfianças sobre a suposta torcida da classe política pela cassação do ex-juiz.

Os dois mantém relação próxima no Senado. Ambos trabalharam juntos, por exemplo, na elaboração do projeto que torna massacres em escolas crimes hediondos, em 2023.

Líder do União, Efraim comemora voto contra cassação de Moro no TRE-PR
Efraim publica mensagem em apoio a Moro, no X / Foto: reprodução

O julgamento

O desembargador Luciano Carrasco Falavinha Souza entendeu que as acusações apresentadas pelo PT e pelo PL não procedem e que o cargo conquistado por Moro no Senado deve ser mantido. O relator discordou das alegações de que houve gasto excessivo no período da pré-campanha.

Falavinha destacou que despesas de eventos realizados por Moro em outros estados, durante a pré-campanha à presidência, foram consideradas como pré-campanha ao Senado pela Federação Brasil da Esperança – FÉ BRASIL (PT/PCdoB/PV) e pelo Partido Liberal (PL), que pede a cassação.

O desembargador classificou como “frágeis” as provas apresentadas pela acusação ao longo do processo. O segundo desembargador a votar, José Rodrigo Sade, pediu vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso.

As duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (AIJEs) que pedem a cassação do mandato de Sergio Moro começaram a ser julgadas às 14h desta segunda-feira (1º), no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), em Curitiba. Para ler mais sobre o julgamento, clique aqui. 

Com informações do G1