João Paulo Medeiros

Produtividade dos juízes melhora, mas TJPB ainda ocupa 21ª posição em ranking do CNJ

Dados foram divulgados hoje no ‘Justiça em Números’

Foto: Ascom

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou hoje o relatório ‘Justiça em Números 2021’, que faz uma varredura anual na produtividade e nos números alcançados pelo Judiciário brasileiro. A publicação tem por base os números de 2020, primeiro ano da pandemia da covid-19.

Os dados mostram que o índice de produtividade dos magistrados paraibanos, do Tribunal de Justiça (TJPB), melhorou em comparação com o ano passado.

No levantamento de 2020 os magistrados do Estado ocupavam a ‘lanterna’ no ranking do CNJ, com 886 pontos no quesito produtividade, ficando atrás de Estados como Piauí (971) e Amapá (952).

Agora, com base nos dados de 2020, o TJPB ocupa a 21ª posição, com 1.109 pontos, ficando à frente dos tribunais do Distrito Federal (938 pontos), Espírito Santo (911 pontos), Pará (855), Piauí (893 pontos), Roraima (829 pontos) e Amapá (558 pontos). A média nacional é de 1.672.

Veja também  Justiça manda demolir casas ‘irregulares’ que ocupam 50% de rua de Campina Grande

Foto: reprodução

Já com relação à produtividade dos servidores, a pontuação do TJPB também evoluiu. No relatório de 2020 o tribunal havia obtido 91 pontos. Agora o índice é de 107 pontos.

Foto: reprodução

Na semana passada o TJPB publicou uma resolução instituindo a ‘Semana Estadual de Sentenças e Baixa Programada’, com o objetivo de dar mais celeridade no julgamento de ações. Este ano a semana deverá acontecer no início de novembro.

Outros dados

Além dos índices de produtividade, outros dados também chamam atenção no ‘Justiça em Números 2021’. O TJPB é, por exemplo, o tribunal (entre as unidades de pequeno porte) com maior número de juízes e o menor índice de distribuição de casos novos, conforme o relatório.

Já no item despesas, também entre os tribunais de pequeno porte, ocupamos a 3ª colocação.

Foto: reprodução