João Paulo Medeiros

Por nomear filha e genro, ex-presidente de Câmara tem condenação mantida pela Justiça

Foto: Ascom

O ex-presidente da Câmara de Vereadores de Cacimba de Areia, Gilson Ferreira da Nóbrega, teve a condenação por improbidade administrativa mantida pela Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba. E não foi por acaso. Ele contratou a própria filha e o genro, enquanto era presidente da ‘Casa’, para atuarem como servidores comissionados do Legislativo municipal.

Gilson foi condenado ao pagamento de multa, no importe de 10 vezes a última remuneração recebida como presidente da Câmara e à suspensão dos direitos políticos por três anos.

Durante o processo ele alegou que os dois servidores eram funcionários públicos municipais e nada impediria que fossem nomeados para o exercício de cargo em comissão ou função gratificada.

Ao decidir sobre o caso o desembargador José Aurélio da Cruz considerou que a prática de nepotismo se encontra vedada pela Súmula Vinculante nº 13, do Supremo Tribunal Federal.

Veja também  Com bagunça na base, governador promete ‘enquadrar’ aliados em uma mesma chapa

Da decisão cabe recurso.