João Paulo Medeiros

Secretário mantém foco na Educação, mas tem nome cada vez mais cotado para Assembleia

Secretário é neto do tribuno Raymundo Asfora

Foto: ascom
Foto: ascom

O calendário eleitoral tem avançado e, com ele, as movimentações para o lançamento de candidaturas proporcionais e de chapas majoritárias na Paraíba. Quem ocupa cargo público hoje terá que se afastar para a disputa. E, em Campina Grande, a ‘bolsa de apostas’ tem disparado na gestão municipal em torno do nome do secretário de Educação, Raymundo Asfora Neto.

Escolhido por Bruno Cunha Lima (PSD) para conduzir uma das ‘pastas’ mais importantes da gestão, Asfora tem sido lembrado, cada vez mais, para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado.

Há quem defenda a tese de que ele seria o representante ideal da gestão na ‘Casa’ a partir de 2023.

E, historicamente, os prefeitos de Campina Grande têm apresentado nomes para os Legislativos. Foi assim, por exemplo, quando Romero apadrinhou o irmão, Moacir Rodrigues (PSL); ou quando Cássio ajudou a eleger os ex-deputados Fábio Nogueira e Arthur Cunha Lima. Na gestão Veneziano (MDB) a atual senadora, Nilda Gondim (MDB), foi eleita para a Câmara Federal.

Veja também  Operação em Dona Inês: prefeitura teria pagado transporte escolar após incêndio ter destruído veículo

Questionado sobre uma possível candidatura, Asfora disse que o “foco é trabalhar pela Educação”.

Mas uma coisa, necessariamente, não anula a outra.

Pelo contrário. Foco administrativo é quase sempre sinônimo de bons resultados. E resultados trazem, por aderência, novos projetos para gestores públicos.

No caso de Asfora, o bom desempenho na Educação municipal pode levá-lo a uma candidatura a deputado estadual. A simpatia de muitos que fazem a gestão municipal com esse projeto está em alta.