João Paulo Medeiros

Efraim afasta tese de repatriação e acerta ao evitar ‘nó’ na cabeça de seu eleitorado

Morais e Cunha Lima cumpriram agenda juntos no Sertão

Foto: Ascom
Foto: Ascom

O deputado federal Efraim Filho (União) afastou hoje a possibilidade de voltar a fazer parte da base do governador João Azevêdo (PSB). Em entrevista à imprensa sertaneja, em Conceição, ele reforçou que continua apoiando a pré-candidatura de Pedro Cunha Lima (PSDB) ao Governo.

Nos bastidores havia um movimento para tentar convencer Morais a retornar às hostes governistas, diante da indefinição em torno da candidatura de Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) ao Senado.

Por muito tempo Efraim tentou ser o ‘indicado’ para a disputa na chapa governista.

Sem ter o espaço garantido, decidiu ir para oposição. Mas levou com ele o apoio para o Senado do Republicanos – partido com maior musculatura da base.

Veja também  Juíza paraibana que atua no Rio Grande do Norte é encontrada morta em estacionamento no Pará

O cenário de hoje não é indicado para uma nova reviravolta. O ‘nó’ na cabeça do eleitorado de Morais seria desgastante. Como ele explicaria uma nova mudança de rota dentro de um contexto em que há um discurso de que “foguete não dá ré”?

Certamente pensando nisso Morais optou por não retroceder. E hoje, ao participar de uma agenda ao lado de Pedro, deixou isso ainda mais claro. Morais sinaliza que não quer nem saber de repatriação…