João Paulo Medeiros

Estado destina R$ 1,9 milhão para São João de Bananeiras, Patos, Monteiro e Santa Luzia, mas zera em Campina Grande

Governo diz que participa da festa com a estrutura de segurança, saúde e com o Salão do Artesanato

São João de Campina Grande. Foto: Emanuel Tadeu

A destinação de recursos estaduais para festas juninas, na Paraíba, sempre foi motivo de polêmica. Historicamente algumas prefeituras reclamam da falta de incentivos, enquanto outras comemoram. Este ano, o Governo do Estado destinou R$ 1,9 milhão para quatro cidades paraibanas que realizam tradicionais festejos juninos.

Mas o ‘Maior São João do Mundo’, de Campina Grande, não recebeu patrocínio estadual.

Extratos dos contratos publicados no Diário Oficial mostram que o São João de Bananeiras, por exemplo, recebeu R$ 700 mil em patrocínio. Já em Patos e Monteiro o valor é de R$ 500 mil para cada um dos eventos. Nos três casos, os festejos são gerenciados por empresas privadas, assim como ocorre em Campina.

Já para o São João de Santa Luzia, no Sertão, foram R$ 200 mil investidos – conforme a Secretaria de Cultura do Estado. Nesse caso, um convênio foi firmado diretamente com o município.

Diante da falta de recursos destinados ao Maior São João do Mundo, o Governo tem dito que investe nos serviços de segurança, saúde e também através do Programa Empreender.

Foram R$ 2 milhões disponibilizados em forma de empréstimo para os barraqueiros do Parque do Povo. Dinheiro que será pago, posteriormente, pelos barraqueiros. Em Campina o Governo também realiza o Salão do Artesanato, assim como faz em João Pessoa.

As duas teses, cá entre nós, não justificam a falta de patrocínio para a maior festa de São João do país. Primeiro porque os serviços de segurança e saúde também estão presentes nas demais festividades (Bananeiras, Patos, Monteiro e Santa Luzia). Depois, é preciso considerar que os recursos do Empreender, como já disse, serão pagos pelos barraqueiros. Ou seja: não podem entrar na ‘conta’ de investimentos.

Veja também  Motociata de Bolsonaro vai percorrer 17 quilômetros em Campina Grande; veja principais ruas

E mais: o Governo do Estado, independente das cores das gestões envolvidas, dá um tiro no pé ao não apoiar com recursos a festa de Campina. O ‘Maior São João do Mundo’ é quem leva, de forma bem mais significativa, o nome da Paraíba para o restante do país. E é quem, também, impulsiona mais substancialmente a economia paraibana.

A festa, portanto, precisa ser tratada como um patrimônio do Estado!

Assim como fazem os pernambucanos…

Em Caruaru, este ano, são R$ 3,5 milhões investidos pelo Governo do Estado na festa. Por aqui, ficaremos com os serviços de segurança e saúde.

Outro lado

Ao Blog, o secretário de Cultura do Estado, Damião Ramos Cavalcanti, disse que a destinação dos recursos atendeu a critérios técnicos e considerou as necessidades de cada cidade.

“Foi criada uma Comissão técnica para avaliar. No caso de Campina o Estado entra com recursos bem mais significativos, do que nas outras cidades, para manter a Segurança e na área da Saúde”, justificou o secretário.

Além das cidades tradicionais, o Estado também destinou R$ 433 mil para o São João na Rede. O evento aconteceu em 12 cidades paraibanas. “Não houve São João tão bem apoiado como este deste ano”, lembrou Damião Ramos.