Investigação na Braiscompany da PF e MPF mira R$ 1,5 bilhão

Volume de recursos foi movimentado nos últimos quatro anos

A operação de hoje deflagrada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal na Braiscompany mira volumes estratosféricos de criptoativos: o equivalente a R$ 1,5 bilhão nos últimos quatro anos, segundo a PF.

Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Campina Grande, João Pessoa e São Paulo, nas sedes da empresa.

A ação foi batizada de HALVING, com o objetivo de combater crimes contra o sistema financeiro e contra o mercado de capitais, em tese cometidos por sócios de empresa especializada em criptoativos.

Foram cumpridos 8 mandados de busca e apreensão.

Os crimes investigados são os previstos nos arts. 7º e 16 da Lei nº 7492/86, cujas penas somadas passam dos 12 anos de reclusão e multa.

O nome da operação é uma alusão ao aumento da dificuldade de mineração do bitcoin, que ocorre a cada 4 anos, período semelhante a ascensão e derrocada do esquema investigado.