Cortejada pela base de João Azevêdo, Léa Toscano diz na CBN que não tem “arestas com ninguém”

A ex-prefeita de Guarabira, Léa Toscano, ainda não anunciou para qual partido irá após a sua saída do PSDB, depois de 23 anos como filiada. Mas ela adiantou que está aberta a conversar com todas as legendas, inclusive com a base do governador João Azevêdo (PSB).

Léa revelou que foi procurada por um interlocutor do Governo para ingressar em um partido da base. 

O detalhe é que em Guarabira a base de João é composta pelo grupo Paulino, adversário histórico da família Toscano. Raniery é deputado federal pelo Republicanos e o pai dele, o ex-governador Roberto Paulino, faz parte do primeiro escalão da gestão estadual.

“Vou para um partido ligado aos meus pensamentos. Hoje em dia estou conversando com os dois lados. A pessoa do Governo nos procurou. Estou conversando com todos os partidos porque não tenho arestas com ninguém”, assinalou a ex-prefeita.

A ex-prefeita ainda lembrou que sempre foi “ronaldista”, em uma referência ao tempo em que o grupo do esposo dela, Zenóbio Toscano, era comandado pelo ex-governador Ronaldo Cunha Lima.

“Sempre seguimos orientação de Pedro e Cássio. Quando Pedro deixou o PSDB eu disse a ele que minha vida no partido também acabava ali”, registrou Léa.

Nos bastidores especula-se que o grupo da ex-prefeita teria sido desconfortável com a escolha de Fábio como novo presidente estadual da legenda.