Bixarte: ‘quando eu transicionei, eu entendi para quem eu queria falar e o que eu queria falar’, diz cantora trans

A cantora Bixarte foi entrevistada no Paraíba Comunidade deste domingo (24), que discute políticas públicas e respeito às diferenças.

Divulgação/Bixarte

A paraibana Bianca Manicongo, mais conhecida como Bixarte, se define como uma “artista política”. Ela é atriz, cantora, poeta e segue conquistando espaço à nível nacional, fez sua primeira série da Globo e está produzindo um novo álbum. Como uma mulher transexual, a artista explica como a transição de gênero mudou a arte que ela faz. 

“Mudou tudo porque eu comecei a entender pra quem eu estava querendo falar. Eu acho que a arte é plural, ela consegue falar com muita gente, mas quando ela não tem um foco, acho que ela fica vazia. Quando eu transicionei, eu entendi para quem eu queria falar e o que eu  queria falar”, afirma a artista em entrevista ao Paraíba Comunidade. 

Bianca estreou na terceira temporada de Cine Holliúdy, da TV Globo, em abril do ano passado, com a personagem “Perversa”. A atriz afirma que é muito gratificante ocupar esses espaços, diz que sempre imaginou o cheiro do Projac e é como se “estivesse  pegando de volta o que é nosso”.

Uma amiga fala assim: ‘acho que a gente já grita a muito tempo, mas agora a gente está sendo escutada’, e eu acho que é isso sabe. Não só a minha contratação na Globo, mas quantas outras meninas trans, né? Agora na novela das 9h, a gente tem uma mulher trans em cena, eu fiz Cine Holliúdy e fiz treinamento para outros trabalhos”, afirma.“Eu acho que agora eu estou realizando um sonho que não é só meu, é ancestral”, conclui a artista. 

Novos trabalhos

Bixarte disse em entrevista ao Paraíba Comunidade que quer voltar a trabalhar com dramaturgia neste ano, mas também está produzindo um novo disco na Paraíba, que conta sobre as suas origens. Além disso, ela promete um novo clipe musical com mulheres paraibanas.