Saúde Alerta

André Telis

Pelé retira tumor do intestino: entenda o que provoca tumor no cólon

Apesar de ser mais comum em pessoas acima de 50 anos, o câncer colorretal também pode ser diagnosticado em jovens adultos. Obesidade, má alimentação e tabagismo estão entre as principais causas da doença.

Foto: divulgação

Pelé retira tumor do intestino achado durante exame de rotina.

“Meus amigos, muito obrigado pelas mensagens de carinho. Eu agradeço a Deus por estar me sentindo muito bem e por permitir que o Dr. Fábio e o Dr. Miguel cuidem da minha saúde. No último sábado fui submetido a uma cirurgia de retirada de lesão suspeita no cólon direito. O tumor foi identificado na realização dos exames que mencionei na última semana.Felizmente, estou acostumado a comemorar grandes vitórias ao lado de vocês. Vou encarar mais essa partida com um sorriso no rosto, muito otimismo e alegria por viver cercado de amor dos meus familiares e amigos.”

Essas foram as palavras do Rei Pelé ao anunciar que fora submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor no instetino nesse sábado. 

Logo após veio o boletim do Hospital, segundo o qual o  tumor foi identificado durante a realização de rotina.

(Rovena Rosa/Agência Brasil)

Incidência

De antemão, apesar de ser mais comum sobretudo em pessoas acima de 50 anos, o câncer colorretal também pode ser diagnosticado em jovens adultos. Além disso, obesidade, má alimentação e tabagismo estão entre as principais causas da doença.

 

Assim como Pelé, que descobriu o câncer durante um exame de rotina, essa é uma estratégia utilizada para detecção do tumor em um estágio mais inicial e possibilitar maiores chances de cura. Então quando descoberto precocemente, as chances de cura são de 90%.

Os sintomas mais frequentemente associados ao câncer do intestino são:

  • sangue nas fezes;
  • alteração do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre 
    alternados);
  • dor ou desconforto abdominal;
  • fraqueza e anemia;
  • perda de peso sem causa aparente.
  • alteração na forma das fezes (fezes muito finas e compridas)
  • massa (tumoração) abdominal

Além do diagnóstico precoce, a OMS orienta que sejam realizados rastreio nas pessoas com mais de 50 anos.

Pesquisa de Sangue oculto nas fezes e colonoscopia são formas de diagnóstico da doença.

Muitas vezes, quando o médico visualiza o intestino por dentro, ele consegue retirar pólipos que são tumorações benignas antes que elas virem cancer, ou seja, o exame além de possibilitar o diagnóstico precoce, pode evitar novos casos.

Fatores de risco

Os principais fatores relacionados ao maior risco de desenvolver câncer do intestino são: idade igual ou acima de 50 anos, excesso de peso corporal e alimentação não saudável (ou seja, pobre em frutas, vegetais e outros alimentos que contenham fibras)

Segundo o INCA ( Instituto Nacional do Câncer) estimativas para o ano de 2020 apontam 40.990 novos casos, sendo 20.520 homens e 20.470 mulheres. Em 2019 (último resultado divulgado)  20.578 morreram no BRasil vítimas de câncer de intestino.

O câncer colorretal é o quinto tipo de câncer mais freqüente no Brasil. Tem um caráter hereditário em 10% a 15% de todos os casos diagnosticados.

Este é o mês de conscientização sobre o câncer de intestino. A campanha “Setembro verde”, promovida pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), visa informar a população sobre a importância de realizar ações preventivas contra a doença.

Tratamento

O câncer de intestino é uma doença tratável e frequentemente curável. Assim como Pelé retirou tumor do intestino, outras tantas pessoas seguem o mesmo tratamento.

De iníco, a cirurgia é o tratamento de escolha, retirando a parte do intestino afetada. Outras etapas do tratamento incluem a radioterapia , associada ou não à quimioterapia, para diminuir a possibilidade de recidiva do tumor. Portanto, o tratamento depende principalmente do tamanho, localização e extensão do tumor. Após o tratamento, é importante realizar o acompanhamento médico para monitoramento de recidivas ou novos tumores.

Prevenção

Resumindo, além do exame para pessoas com mais de 50 anos ou mais cedo para pessoas que tem casos de câncer na família,  é preciso incluir mais frutas, legumes e verduras na alimentação, assim como evitar consumo de alimentos processadas (salsicha, mortadela, linguiça, presunto, bacon). Devemos evitar cigarro e o consumo de bebidas alcoólicas .

Similarmente, praticar atividades físicas ajuda na prevenção