André Telis

AVC é a segunda causa de mortes no mundo e pode ser evitado

O mnemônico SAMU ajuda a suspeitar que alguém pode está sofrendo um AVC

Você sabia que o AVC é a segunda causa de mortes no mundo? Somente esse ano, de janeiro a outubro, 102812 brasileiros foram vítimas da doença que mais deixa pessoas com incapacidade permanente.

O total de mortes por acidente vascular cerebral (AVC) no Brasil foi de 101.965, em 2019; 102.812, em 2020; e 84.426, de janeiro a 27 de outubro de 2021 segundo dados do sistema de registro civil que informa as causas de morte.

Jovens também são vítimas de AVC:  a segunda causa de mortes no mundo

Os idosos são o grupo com maior prevalência, mas nota-se que entre pessoas entre 19 e 59 anos, vem aumentando o percentual de vítimas. Houve um aumento de 3% desde 2019 – antes o percentual era de 17 %  e agora representa 20%.

A gente costuma dizer que o AVC é uma doença de idosos, com uma chance que dobra a cada 10 anos a partir da sexta década de vida.

O AVC é uma doença cardiovascular e compartilha os mesmos fatores de risco.

Hipertensão arterial é um desses fatores, além de colesterol aumentado, diabetes, sobrepeso, sedentarismo e o hábito de fumar.

O consumo de drogas ilíticas altera muito o fluxo cerebral e pode levar a um AVC.

A maioria dos AVC são do tipo isquêmico, que acontece quando uma artéria que leva sangue ao cérebro se fecha por conta de gordura ou mesmo de trombose. Já 15% dos AVCs são chamados de hemorrágicos, nesse caso ocorre um ruptura de alguma artéria e o derrame de sangue e o consequente inchaço associado levam a uma falta de oxigênio cerebral e morte celular.

Veja também  Miocardite pós vacina: o risco existe?

Os neurônios que são as células do sistema nervoso central não se regeneram, daí o motivo das sequelas serem geralmente permanentes.

Ainda numa série de vídeos que produzimos para o JPB chamada de Idade do Coração a gente ensinou as pessoas a estimarem seu risco de ter doenças cardiovasculares a partir de uma estimativa da idade do coração.

Calculadora ajuda a identificar os riscos de ter um AVC

É possível também usar essa calculadora para estimar o risco de você ter um AVC.

Os sintomas de AVC podem ser inespecíficos e variam desde dor de cabeça até dificuldade para falar e dormência no corpo.

O tratamento depende do diagnóstico rápido e tratamento num período mais curto. A gente costuma dizer que tempo é cérebro e quanto mais rápido estabelecido o diagnóstico e iniciado o tratamento, aumentam as chances de reversão de sequelas que podem se tornar permanentes.

Anualmente 15 milhões de pessoas no mundo são vítimas de AVC, 5 milhões morrerão e outros 5 milhões ficarão com sequelas para o resto da vida.

Saiba como identificar que alguém está tendo um AVC

Recomenda-se que aso menor sinal de AVC a pessoa seja levada imediatamente a uma urgência.

Em caso de suspeita de que alguém tá tendo um Acidente Vascular Cerebral recomendamos um estratégia simples e fácil de lembrar. São 4 letras: S – A – M – U.

S – peça para a pessoa sorrir.

A – peça para a pessoa levantar os dois braços, como se fosse lhe abraçar .

M – peça para a pessoa cantar um trecho de uma música ou dizer o endereço, por exemplo.

U – se a pessoa não conseguiu fazer um dos três itens anteriores, procure imediatamente para o serviço de urgência.